Diário da Região

22/06/2017 - 17h06min

Comportamento

Resiliência, a arte de dar volta por cima

Comportamento

Stock Images/Divulgação NULL
NULL

Podemos perceber, mesmo diante da urgência da vida moderna e das constantes transformações, como as pessoas lidam de formas diferentes com situações parecidas. É certo que o modo como cada um lida com as adversidades depende das características pessoais, da educação, dos valores, da cultura, da experiência, da religiosidade, enfim, da visão de mundo de cada pessoa. Quem de nós nunca passou por dificuldades, problemas e desafios e pensou em desistir? Ou não pensou em largar tudo e sumir por conta dos maus momentos vividos? Mas para superar adversidades é preciso desenvolver habilidades. 

É em momentos como esses que a resiliência entra como ferramenta poderosa de superação e sucesso. Preparar-se para enfrentar adversidades é uma das formas de se manter firme rumo aos objetivos. 

Imagine a figura de um bambu, com suas hastes longas e finas, que no meio de fortes ventos e tempestades resiste bravamente e tem a capacidade de curvar-se para não quebrar, de entortar, ceder, flexibilizar-se diante das adversidades, mas persiste e retorna ao estágio anterior tão logo a ameaça termine. É mais ou menos assim que a resiliência funciona. É ter a certeza de que tudo vai dar certo no fim, assim como a canção de Renato Russo e Flávio Venturini: "Mas é claro que o sol vai voltar amanhã/ mais uma vez, eu sei/ escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã/ espera que o sol já vem..."

Resiliência, para quem não está familiarizado com o termo, é um conceito originado na física, que se resume na propriedade de um material acumular pressão ou sofrer estresse sem que se quebre ou rompa. A palavra nunca esteve tão em moda. Isso porque o mundo tem passado por rápidas transformações em todas as áreas e a melhor forma de não ficar para trás é se adaptando a elas.

Como em tudo na vida, o termo foi adaptado à realidade humana e nada mais é do que a capacidade de superar as adversidades, transformando os momentos difíceis em oportunidades para aprender, crescer e mudar. 

As pessoas resilientes conseguem não apenas amadurecer emocionalmente, como também ficam mais fortes depois de ultrapassada a fase negativa. "Na vida real, resiliência é entendida como uma das chaves para o sucesso pessoal e profissional. Se preparar para enfrentar adversidades é uma das formas de se manter firme rumo aos objetivos", explica a master coach executiva Regiane Martins.

"Estamos passando por uma crise política e econômica, além de todas as nossas demandas pessoais, então, ficamos ao sabor do vento muitas vezes e uma pessoa que não tem o 'motorzinho' ligado irá balançar e se debater muito, por isso é muito importante que consiga manter seu objetivo e seguir em frente diante de tantas adversidades", diz a psicoterapeuta Karina Younan, mestre em ciências da saúde.

"A resiliência é um salto novo, é você se adaptar frente às dificuldades para se construir e atingir seu propósito maior. Se acontecem coisas que estão fora do nosso controle, devemos desenvolver a competência de nos refazer", diz a empresária e coach Ana Paula Casseb.

"Todo o tempo temos de nos adaptar a mudanças. Sofremos pressão no âmbito pessoal e profissional, e quem tem mais facilidade para se adaptar a ela é que se mantém em evidência no mercado de trabalho e tem mais sucesso em qualquer área da vida. Desenvolver essa habilidade é uma necessidade atual", diz a psicóloga e coach Vanessa Numer Cosenza Martim.

Uma questão de atitude

Mas por que então algumas pessoas são naturalmente resilientes, enquanto outras não? Todos nós possuímos determinados talentos, pontos fortes e virtudes que são natos, e a resiliência pode ser uma destas características, mas na maioria das vezes ela é mais uma questão de atitude do que de talento. "Atitude de fazer diferente na hora da dificuldade, atitude de aproveitar a lição do bambu, que se adequa às situações difíceis para voltar ao seu estado natural quando o pior passar, atitude de ser flexível perante situações de pressão e estresse", diz a master coach Regiane Martins.

"A resiliência não pode ser considerada um traço de personalidade, mas um processo dinâmico, algo que pode ser mudado a qualquer momento", explica a psicóloga Márcia Chacon. E essa, segundo ela, é uma capacidade extremamente importante num mundo atual tão dinâmico com violência, corrupção, mudança de valores. "Ninguém vem pronto. Somos resultado das nossas crenças aprendidas na infância e das influências que recebemos e mesmo que não tenhamos suporte, a boa notícia é que é uma competência que você pode desenvolver", explica a coach Ana Paula Casseb.

Capacidade pode ser desenvolvida

Para "criar" ou "aumentar" os "músculos" da resiliência é necessário treino para que seu cérebro se acostume com esta nova forma de pensar e agir, e faça desta uma opção consciente. "Passar por adversidades acaba por aumentar nossa resiliência na prática, fazendo com que aprendamos a lidar com elas", explica a master coach Regiane Martins.

Segundo a psicóloga Marcia Chacon, existem diversas circunstâncias que favorecem o desenvolvimento ou não da resiliência em cada pessoa: a educação, as relações familiares, se recebeu amor, se desenvolveu segurança e autoestima, se tem amigos ou uma rede de proteção de pessoas com quem contar. "Tudo isso são aspectos importantes para o desenvolvimento dessa capacidade", diz Márcia.

Mas existem outros: quando uma pessoa tem a percepção de que a existência possui um significado, e que este significado deve ser buscado, essa também é uma força motivadora que facilita a capacidade de suportar momentos de sofrimento intenso e dar um sentido ao ocorrido.

Respeite os limites

Mas como todo extremismo é destrutivo e burro, a resiliência deve respeitar alguns limites, pois ser flexível não significa ser permissivo demais ou omisso. "Ser resiliente significa curvar-se estrategicamente, mas sempre conservando sua essência e integridade, já que o próprio bambu não abre mão disso", afirma a psicóloga Regiane Martins. Melhor mesmo é que sua resiliência seja tão útil quanto uma fortaleza em momento de guerra e tão nobre quanto sua vontade de vencer as batalhas com ética e integridade. 

"As pessoas confundem resiliência com estar sempre seguindo em frente, independentemente do que aconteça. Não é isso. O que marca uma pessoa resiliente é a coerência e a consistência, baseada em princípios. Conseguimos identificar a pessoa que não é resiliente: quando pequenas coisas a incomodam, elas se inflamam e têm reações muito impulsivas, precipitadas", diz a psicóloga Karina Younan.
"As pessoas confundem resiliência com persistência, porque muitas vezes, quando elas sabem onde querem chegar, mas as coisas não dão certo, é preciso ser resiliente para seguir um novo caminho a fim de chegar no objetivo final", explica a coach Ana Paula Casseb.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso