Diário da Região

29/01/2017 - 10h34min

Nova York

EUA: reforma tributária de Trump pode beneficiar suas empresas, diz jornal

Nova York

A proposta de reforma tributária do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, poderia preservar milhões de dólares para empresas controladas por sua família. As empresas que fazem parte da Organização Trump pagam mais de US$ 20 milhões por ano em juros sobre suas dívidas, de acordo com uma análise do jornal The Wall Street Journal baseadas em divulgações financeiras e outras informações públicas sobre os empréstimos das empresas e suas taxas de juros. De acordo com a legislação tributária atual, esses pagamentos de juros podem ser deduzidos do rendimento tributável total de um contribuinte, reduzindo os montantes devidos ao governo. A estimativa do jornal de US$ 20 milhões é conservadora, o que significa que o benefício fiscal para Trump ou suas empresas pode ser maior. Os republicanos do Congresso propuseram mudanças no código tributário que acabariam com essa dedução para as empresas. Essa proposta é considerada em Washington como o ponto de partida provável para as negociações no esforço mais sério em muitos anos para reformular o sistema tributário. Nesse cenário, com base na análise do The Wall Street Journal, a receita tributável da Organização Trump poderia aumentar em mais de US$ 20 milhões, o que pode adicionar milhões de dólares por ano à sua conta de impostos. Embora não se saiba o quanto Trump ou a Organização Trump paga em impostos, ou a que taxa, US$ 20 milhões tributados a uma taxa de 40% de renda pessoal se traduzirá em cerca de US$ 8 milhões em potencial responsabilidade fiscal adicional. (De acordo com uma carta de seus advogados, os negócios de Trump operam "quase exclusivamente" por meio de parcerias e empresas individuais, que não estão sujeitas à alíquota do imposto corporativo.) O plano de revisão de impostos de Trump, que uma vez se descreveu como o "rei da dívida", preservaria a capacidade da maioria das empresas - incluindo os promotores imobiliários, como a Trump Organization - de reduzir seus passivos fiscais com os juros das dívidas. Seu plano limitaria o uso de deduções de juros somente para alguns setores da indústria. "Há um claro conflito entre suas finanças pessoais e seu papel presidencial", disse Daniel Shaviro, professor de Direito Tributário na Universidade de Nova York. "Suas próprias políticas tributárias seriam boas para seus interesses financeiros." Procurada, a Casa Branca afirmou que as questões teriam que ser direcionadas à Organização Trump, que não comentou o assunto. No início deste mês, Trump anunciou a transferência do controle de sua organização para empresa administrada por seus dois filhos. Não está claro como a transferência pode afetar seus impostos. Trump não identificou os beneficiários ou disse se ele retomará o controle de seus negócios depois que ele deixar o cargo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso