Diário da Região

07/11/2015 - 00h35min

Cartas do leitor

Juiz Táfari

Cartas do leitor

A notícia da recente aposentadoria do juiz Antônio Carlos Táfari deixou desolados tanto os funcionários do Fórum como as pessoas que o conhecem. Conheci-o operário, trabalhando nas profissões mais humildes. Jamais poderia imaginar que aquele jovem iria se transformar num exemplo de moralidade e dignidade. Cumpridor dos deveres. Elogiado pela eficiência e pelo senso de responsabilidade com que enobrecia a profissão à qual se dedicou. Antes, quando no exercício da profissão, nós, os seus amigos, em nome dos quais falo, jamais o elogiamos para que não parecesse bajulação como preconício, no sentido de um elogio, em busca de interesses. Mas hoje, podemos lhe falar do nosso orgulho em tê-lo conhecido. O juiz que a todos recebia com humildade, o juiz que decidia com competência e veracidade. O juiz que estava às portas do Fórum, antes que abrisse as portas para iniciar a jornada de trabalho. Parabéns, campeão, Rio Preto pode contar como um galardão de honra tê-lo entre os seus habitantes. Nossos votos para que Deus o conserve para servir de exemplo a todos aqueles que se iniciarem na muito difícil profissão de julgador.  Hoje, nós o enxergamos como um predestinado e não estranhamos que aquele menino pobre, aquele jovem trabalhador, chegasse aos píncaros profissionais. Talvez seja porque como disse Shakspeare: "Porque há mais mistérios entre o céu e a terra do que julga a nossa vã filosofia".

Wilson Romano Calil, Rio Preto

 

Enchentes 1 

Essas enchentes nunca acabarão! Já falamos sobre isto dois anos atrás. Vamos tornar a fazê-lo. Estamos fazendo obras não adequadas. E caras! emos de controlar a água dos vertedores das represas 1, 2 e 3. Quando chove muito, a água do rio Preto, que vem de Cedral, enche muito as represas, e o vertedor ao lado do Semae deságua com muito volume e força. Daí entra no canal em curva, para depois endireitar-se ao longo da avenida Philadelpho. Se tivéssemos vertedores controlados entre as três represas, na ocasião das grandes chuvas, deveríamos segurar (represar) esta água nas represas ao seu máximo, e daí estaria seco o canal do rio, que começa no Semae. E estando seco daria melhor vazão dos córregos Borá e Canela, que estão respectivamente sob as avenidas Bady e Andaló. Daí diminuiria bastante a quantidade de enchentes nestas duas avenidas. E mais, na rua Floriano Peixoto, a da Basílica, é preciso ter emissários que captassem toda a água que vem do Parque Industrial e parte da Boa Vista, no sentido direto para a avenida Philadelpho Gouvea Netto, evitando assim que esta água chegasse até a avenida Bady. De forma análoga, na rua Minas Gerais, paralela à avenida Andaló, captando água que vem lá do Cemitério da Ercília. Com um emissário paralelo a esta dita avenida, despejando na represa antes da jusante do Semae. Não custaria tão caro, quanto ao que está se executando atualmente, e que não vai resolver o problema, conforme prometido. Sem contar a enorme economia que este município faria.

Jorge Bassitt, Rio Preto

 

Enchentes 2

Recapeamento, tapa-buraco e enchente em Rio Preto são só de brincadeira. Gastam fortunas tentando acabar com as enchentes, mas qualquer chuvinha vem com os alagamentos. Recapeamento e tapa-buraco é para jogar dinheiro fora, pois são de péssima qualidade, e sua durabilidade vai até somente as primeiras chuvas. Prova disso é só dar uma passadinha na rua Colomba Massom Sumariva: na altura do número 521 foi feito recapeamento e tapa-buracos há um ano, mas já faz um tempão que quase tudo se foi. Fotos tiradas no dia do recapeamento (23/9) na matéria de capa eram sobre o acidente de trem no Jardim Conceição. Será que isto não terá um basta? É tão fácil. É só fazer o correto. Mas se não conseguem pôr o trem caipira na linha em quase dez anos de espera, imagine deixar Rio Preto alinhado. Não acredito.

Aparicio Guilherme Queiroz, Rio Preto

 

CPI das Enchentes

A manobra de alguns vereadores, liderada pelo autor do projeto da CPI do Wi-Fi, Maurin Ribeiro (PCdoB), livra o "Monstroeste das Enchentes" de uma CPI. Conforme revela o Diário, o vereador jogou no lixo a chance de a população saber por que tanto dinheiro enfiado na boca do Monstroeste não produz solução para as enchentes. O "comunista" traiu o maior princípio de seu partido, traiu a população, traiu as vítimas de enchentes que arrastam veículos, inundam comércios e ameaçam a integridade física dos usuários das avenidas alagadas. Lembro-me da saga do PCdoB e de seus militantes para sobreviver à raivosa Ditadura dos anos 1964-1985 e para conseguir a legalização da legenda. Lembro-me do compromisso corajoso dos militantes, que mesmo ameaçados de prisão e tortura procuravam, clandestinamente, alguns jornalistas na Capital do Estado, para informar sobre movimentos populares que se consolidavam nas periferias dos grandes centros urbanos, em favor da redemocratização. Absoluto compromisso com os interesses das camadas mais populares do País. Uma história que justifica o atual lema do PCdoB: "Com a cara e a coragem do Brasil". Entretanto aqui em Rio Preto, o que se viu esta semana foi uma vergonhosa traição a esses princípios. Afinal, a sociedade toda está assustada com a repetição das enchentes, após o Monstroeste devorar R$ 75 milhões para resolver o problema. O vereador Renato Pupo (PSD) propôs uma CPI para investigar a aplicação ineficaz desses recursos, mas o bom mocinho do PCdoB antecipou-se com sua artimanha e impediu a CPI das Obras Antienchentes. Uma traição constrangedora aos interesses da cidade e à história do Partido. Com a cara e a coragem dos traidores. O Monstroeste agradece, aliviado. Lamentável.

Júlio Cezar Garcia, Rio Preto

 


Cartas: 

As correspondências enviadas para esta seção devem ter o nome legível do autor, RG, foto, profissão, idade e endereço e telefone para confirmação prévia. Para dar oportunidade a um maior número de leitores, as cartas poderão ser resumidas. Os originais não serão devolvidos. As cartas podem ser enviadas da seguinte forma:

1) Pelo correio, endereçadas à avenida Feliciano Salles Cunha, 1.515 - CEP 15035-000, São José do Rio Preto-SP
2) Entregues pessoalmente no endereço acima
3) Por fax - (0xx17) 2139-2090
4) Por e-mail, no seguinte endereço eletrônico: leitores@diariodaregiao.com.br

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso