Diário da Região

23/05/2017 - 00h00min

Cartas do leitor

Crise

Cartas do leitor

Crise

Essa medonha crise política e moral gera uma enorme desconfiança generalizada na alma do brasileiro honesto. É preciso resgatar os valores morais, mas como fazer isso? A meu ver, a Lava Jato está no caminho certo. É muito mau-caratismo para pouca política, aquela que trabalha para o bem comum, que articula políticas públicas para melhorar a vida do cidadão, a política que visa sobretudo o interesse público.

Brasília, principalmente, tornou-se, faz tempo, o valhacouto (refúgio, abrigo) dos canalhas (empresários donos de impérios econômicos mancomunados com políticos), essa é a percepção que temos. O importante é que se preserve o estado democrático de direito, o respeito às leis e às Instituições e que se respeite cada vez mais o sofrido cidadão brasileiro honesto e que honra seus compromissos.

A capa da revista “Veja’ desta semana, bem como os editoriais deste Diário, dão conta de que o brasileiro, de tanto ver essa ganância desenfreada por dinheiro, clama por grandeza dos agentes políticos e pela punição também desses empresários inescrupulosos e não menos egocêntricos que os agentes públicos corruptos.

Wander Cortezzi, Rio Preto.

Temer

Fora Temer, leve consigo os corruptos de PMDB, PT e afins. Seu pronunciamento à Nação foi tão tardio quanto a hora que vossa excelência ouviu e calou sobre os fatos expostos por Joesley Batista. Fora Lula, o que deixamos de bradar logo em 2003, quando você perdoou a dívida e visitou o presidente do Gabão, dizendo que o tinha feito para saber como o sujeito governava aquele país há mais de 30 anos!

Quem se recorda do luxo do aerolula, que tem até espelho no teto do quarto presidencial? Foi, em 2005, quando o primeiro propinoduto se revelou, que assinamos a continuação da ladroagem existente.

A JBS foi para os Estados Unidos, levando muito dinheiro do BNDES. Quantos mais o fizeram durante este e os governos anteriores? O correntista do BNDES é o povo brasileiro, é ele o dono do dinheiro e tem que saber onde e como seu capital é empregado. Não existe sigilo bancário para o titular da conta.

Maria Amélia Locatelli, Rio Preto.

Autocrítica

Todos sabemos que muitos admiram o ex-presidente Lula, e os respeitamos. Mas é dever de cidadania que os justos saibam diferenciar, quem e aquilo que foi bom, enquanto durou a probidade de seu governo. Transcrevo abaixo fragmento do jornalista Carlos Alberto Di Franco, do Estadão, um resumo coerente de como uma pessoa boa e carismática deixou se influenciar pelas más companhias:

“Lula poderia ter sido uma bela história. Não foi. Definitivamente. Como lembrou editorial do Estado, Lula entra nessa história sórdida na condição de poderoso, e não de fraco e oprimido perseguido pelos malvados inimigos do povo.

Lula está com a polícia em seus calcanhares não porque é um nordestino que nasceu na pobreza e subiu na vida. Quanto a nós, eleitores, precisamos rever nossos conceitos e fazer uma autocrítica da nossa própria incompetência em delegar a alguém o posto mais nobre da nação. Este é o momento.

Hélio Cardoso, Mirassol.

Corrupção

Ao longo de alguns anos tem sido uma crise econômica e política sem precedentes e com influência direta no dia a dia em que vivemos. Denúncias de corrupção, fazendo estremecer as estruturas da política em Brasília e a economia desenfreada, levando fechamento de postos e mais postos de trabalho por todo o país, têm sido a grande causa do momento.

A presença de políticos corruptos e a dificuldade para o fechamento do balanço mensal tem atingido a classe trabalhadora e os próprios empresários, porque ficam na dúvida de como será o dia de amanhã.

Se a recessão econômica teve reflexos violentos, os desencontros na política levaram à queda do conturbado governo de Dilma Rousseff e, assim sendo, o momento não é nada animador, à vista do quadro em que se encontra a direção do Poder Central.

O novo governo de Michel Temer assumiu com o compromisso de propor reformas e colocar a administração nos trilhos e, aos poucos, o cenário foi se transformando a ponto de nos últimos meses o mercado apontar para uma economia considerada insustentável, com a diminuição de vagas no mercado de trabalho de todo o país. Nesta semana que se findou, quando o governo nos pareceu que teve perspectiva de melhora.

Alessio Canonice, Ibirá.

Trânsito

Das últimas edições do Diário, destaco o artigo intitulado “Cartas de Amor” de autoria da psicóloga Vera Paraboli Milanese, com o qual identifiquei-me plenamente. É de se realçar também o debate sobre trânsito promovido por este jornal na última semana.

A propósito, como desdobramento deste debate, sugiro o quanto segue: 1) que seja incentivado o uso do transporte coletivo, inclusive com estratégia para que a classe média faça uso deste tipo de locomoção; 2) que seja cumprido o artigo 41, inciso V, parágrafo 2º da Lei Federal nº 10.257/01 (Estatuto da Cidade), o qual preceitua: “no caso de cidades com mais de 500 mil habitantes deverá ser elaborado um plano de transporte urbano integrado, compatível com o Plano Diretor ou nele inserido”.

Detalhe relevante: além de possuir uma média de veículos por habitante bem acima da média nacional, Rio Preto tem bem mais de 500 mil habitantes se considerarmos sua influência regional e sua população flutuante; 3) que seja fomentada a prática da Lei Ordinária nº 11.041/2011, em vigor no nosso município e denominada de “Gesto do Pedestre”.

Jorge Abdanur, Rio Preto.

Uber

“TJ suspende lei que proíbe o Uber em Rio Preto” - Diário da Região. A Prefeitura está errando desde o início. Mesmo antes do Uber operar, a Prefeitura já deveria ter revisto essa lei inconstitucional. O Uber começou, a prefeitura sabe que a lei é inconstitucional e mesmo assim continuou multando. Esforço desperdiçado. Poderia colocar a guarda para coisa mais importante.

Além disso, a Prefeitura está perdendo uma grande chance de aumentar as receitas com o Uber, como já faz São Paulo, que cobra uma taxa dos motoristas do Uber para cada quilômetro rodado. Agora a prefeitura fala que não vai mais multar, mas vai apreender o carro. Quanta perda de tempo. É hora da Prefeitura regulamentar.

Juliano de Sousa, Rio Preto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso