Diário da Região

05/04/2017 - 00h00min

Cartas do Leitor

Bairros sem placas

Cartas do Leitor

Outro dia, um grande amigo meu, que costuma visitar os bairros de nossa cidade, para divulgar e vender os produtos de sua empresa, procurou-nos com a seguinte indagação: “Prezado, doutor Nelson, o senhor poderia escrever sobre a falta de placas de sinalização nos bairros da cidade que é motivo de muita reclamação?”. Aceitei a ideia, pois se trata de um tema importante e imprescindível, pelo destaque urbanístico que a cidade ostenta no estado de São Paulo.

Entretanto, para viabilizar esta tarefa, sugeri que fizéssemos um passeio em alguns bairros mais distantes, tal como o Nova Esperança, na zona norte, onde já no trajeto inicial observamos a precariedade de sinalização para orientar os rio-pretenses. É claro que estamos nos referindo às pessoas que desejam conhecer ou visitar esses bairros pela 1.º vez, e jamais sobre aquelas que fazem o percurso de rotina no dia a dia.

Partindo da premissa que essa tarefa é da Secretaria de Trânsito, imaginamos que estejam esquecendo que São José do Rio Preto, nestas ultimas décadas, está expandindo seu território urbano, cujos bairros periféricos transformados em verdadeiros distritos ou até mesmo mini cidades, em razão também do aumento de sua população já atingindo a cifra de 500 mil habitantes, e no entanto, a sinalização não acompanhou essa evolução.

Pela nossa observação, a necessidade das placas de sinalização é pertinente e obrigatório, cujo trabalho de execução deveria ser feito rapidamente pelos especialistas em trânsito, considerando que a arrecadação de multas aos cofres públicos é o suficiente para cobrir os custos desta empreitada.

Ao percorrermos as avenidas, quer no início como no fim, não há placas indicando os bairros mais próximos, nem tampouco as instituições sociais existentes nos locais. E o pior de tudo é exatamente na volta, onde a dificuldade é bem maior, cujas placas deveriam constar a palavra centro com seta indicativa em vários pontos ao longo do trajeto até a cidade. Para quem tem GPS no veículo, do jeito que está, é contornável, porém a maioria dos veículos não possuem esse recurso eletrônico, daí a dificuldade que passam quando visitam a periferia da cidade.

É lamentável o que está ocorrendo nesta cidade, considerando que São José do Rio Preto, constitui uma das cidades mais preferidas para se viver bem. Taí um assunto para a Câmara Municipal, através de seus 17 vereadores, cuja função é fiscalizar e exigir do Poder municipal essas reivindicações populares, para dar mais dinâmica com critica construtiva, podendo inclusive conferir “in loco”, o assunto através de visitas nestes bairros.

Nelson Nagib Gabriel, Rio Preto.

 

Saúde

Lastimável e inadmissível o caso reportado pelo Diário da Região no último domingo (02/04), sobre a baixa do número de leitos pediátricos na rede pública, de modo particular em pelo menos 18 municípios de nossa região, incluindo Rio Preto.

O fato se deve à falta de comprometimento das autoridades desses municípios, principalmente dos seus prefeitos, que não cumprem com suas responsabilidades em adotar políticas públicas para atender os direitos da criança e do adolescente, com prioridade absoluta, conforme a nossa Constituição Federal e regulamentada pelo ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente.

Importante destacar que quando a Lei Maior fixa o princípio da prioridade absoluta, não se trata e uma prioridade qualquer, o que já seria suficiente, mas de prioridade absoluta, cabendo ao Poder Público, dentre outras obrigações, a destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção à infância e à juventude.

E no caso em pauta, o direito à saúde, é evidente a falta de vontade política e de consciência dos Poderes Executivo e Legislativo municipais, desde que ao estabelecer e aprovar as prioridades orçamentárias, não levam em conta essa prioridade em assegurar atendimento integral à saúde da criança e do adolescente, por intermédio do Sistema Único de Saúde, para garantir acesso universal e igualitário às ações e serviços para promoção, proteção e recuperação da saúde.

Diante disso, quero sugerir às autoridades da área da Infância e Juventude que estejam atentas a esse impasse, exigindo providências cabíveis das prefeituras, desde a elaboração de suas propostas orçamentárias.

José Vicente Berenguel, Rio Preto.

 

Uber

O vereador Paulo Pauléra está fazendo média com os taxistas. Senhor Paulo Pauléra, nossa cidade tem tantos problemas que o senhor poderia fazer o seu papel de vereador que é investigar tá preocupado com o Uber. Investiga sr vereador o auxílio atleta, a coleta de lixo. O monopólio do transporte coletivo de nossa cidade o cartel dos postos de combustível os buracos que existe em toda cidade. Muitos problemas tem se o senhor realmente querer trabalhar. No governo passado o senhor só disse amem para o prefeito, inclusive era o camisa 10 do time. Deixa o pessoal trabalhar em paz, senhor Pauléra.

Valmir Alves Pereira, Rio Preto.

 

Previdência

Estamos diante da Reforma da Previdência, mas com ar de opressão, de jogar por terra os direitos sociais conquistados pelo povo. Certamente, os mais pobres serão os “servos sofredores”, inclusive jogando sobre eles o “rombo” causado pelos desvios da irresponsável administração pública. Repudiamos essa iniciativa do Poder Executivo Federal, que tramita no Congresso Nacional.

A questão da Previdência colocou em evidência a discussão sobre o fim da isenção da contribuição para a Seguridade Social de inúmeras entidades, prevista pela Constituição de 1988, no artigo 195 § 7. Eliminar as instituições filantrópicas é deixar de prestar serviço ao povo carente na área da Saúde, Educação e Assistência Social. Mais uma vez o povo vai sendo colocado na exclusão.

Outra questão em debate, provocada pelo crescente número de autoridades envolvidas em denúncia de corrupção, é o chamado “foro privilegiado”, que beneficia um número aproximado de 22 mil autoridades no país. São duas justiças praticadas, dando privilégio a um grupo enorme de cidadãos que agem com irresponsabilidade no exercício de seu cargo. Isso é inaceitável às pessoas de bom senso.

Dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba, ex-bispo de Rio Preto.

 

Cartas

As correspondências enviadas para esta seção devem ter o nome legível do autor, RG, foto, profissão, idade e endereço e telefone para confirmação prévia. Para dar oportunidade a um maior número de leitores, as cartas poderão ser resumidas. Os originais não serão devolvidos. As cartas podem ser enviadas da seguinte forma:

1) Pelo correio, endereçadas à avenida Feliciano Salles Cunha, 1.515 - CEP 15035-000, São José do Rio Preto-SP
2) Entregues pessoalmente no endereço acima
3) Por fax - (0xx17) 2139-2090
4) Por e-mail, no seguinte endereço eletrônico: leitores@diariodaregiao.com.br

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso