Diário da Região

29/03/2015 - 02h46min

Editorial

De cães e trens

Editorial

É incrível a habilidade da Câmara de Rio Preto de se perder em inutilidades. Depois do constrangedor Dia do Beijo, projeto de lei do vereador Paulo Pauléra (PP) prevê agora a instituição do Dia do Cão. De acordo com o parlamentar, o animal merece uma data só dele por ser "o melhor amigo do homem" e ser "tão amado". A comemoração, como todos sabem, não serve para absolutamente nada. Não há nenhuma campanha atrelada a ela. Mas, vindo da Câmara, não é de se duvidar que resolvam fazer uma sessão solene com os animais. O mais absurdo do projeto é que ele foi apresentado três semanas após o Diário, em matéria exclusiva, revelar o extermínio de 19 mil cães e gatos no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Rio Preto. A morte dos animais - 16.822 cachorros e 2.267 gatos - ocorreu nos últimos nove anos. O ápice foi em 2007, quando 4,1 mil animais foram executados. O ex-secretário de Saúde Arnaldo Almendros confirmou que as mortes ocorriam em caso de doença e por superlotação. Impossível precisar quantos dos 19 mil animais executados estavam plenamente saudáveis e foram sacrificados devido à falta de estrutura disponibilizada pelo município.

Sobre as condições precárias do Centro de Zoonoses e as milhares de eutanásias, o vereador Pauléra, que agora pretende ser conhecido como o melhor amigo do cão, não disse uma palavra. Sequer cogitou a hipótese de apurar o porquê de tantas mortes. Nem mesmo visitou o local. É assim que, infelizmente, caminha a Casa do Povo, perdida em questiúnculas e desligada do que realmente importa. A falta de conhecimento dos senhores vereadores é tão gritante que eles erram miseravelmente até quando tentam acertar. A Câmara promulgou, na semana passada, lei de autoria de Celso Peixão (PSB) que impede o acionamento do apito do trem entre 22h e 6h. O projeto nasceu após reclamação de moradores de bairros próximos à linha do trem que se sentem incomodados com a buzina. Ocorre que o apito não é um luxo ou uma graça. É uma necessidade de segurança, já que  serve para alertar os moradores de que o trem está chegando. E que, por isso, é preciso manter distância dos trilhos. Ele é acionado próximo às passagens de nível, que são especialmente perigosas. O horário escolhido pelo vereador só piora a situação, já que à noite é ainda mais difícil perceber a aproximação da composição. Com uma Câmara tão despreparada e ineficiente como a de Rio Preto, o trem nem precisa apitar mais. Já não há esperança alguma no fim do túnel.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso