Diário da Região

09/09/2017 - 00h00min

Editorial

Tudo vira lama

Editorial

NULL NULL
NULL

As revelações do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci ao juiz Sérgio Moro representam a última etapa da dissolução do Partido dos Trabalhadores (PT) e, consequentemente, do seu líder Luiz Inácio Lula da Silva. É o PT se encarregando de destruir o que restou do PT, com base nos seus próprios deméritos. Impressiona também o poder de destruição petista na imagem daqueles com quem o partido manteve relações ao longo dos tempos, desde o início do projeto criminoso de poder, que durou 13 anos e não tão logo vai parar de produzir consequências.

Não é nenhum adversário político. É um petista de primeira grandeza que está dizendo: Lula fez um “pacto de sangue” com o patriarca da construtora Odebrecht para engraxar os cofres do partido e irrigar a campanha da sua sucessora Dilma Rousseff. Emílio Odebrecht colocou à disposição do líder petista nada menos que R$ 300 milhões, bancou terreno do tal instituto Lula e o famoso sítio da família. Palocci deu ainda a informação de que Lula agia para obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Obviamente interessado em obter os benefícios de uma delação premiada, Palocci deu ênfase para o que parece mais relevante e em sintonia com o curso das investigações que já resultaram inclusive em denúncia e condenação de Lula. Na ânsia de querer ser convincente, fez até ironias e bravatas diante do juiz. Se quiser ir além e obter algum benefício legal capaz de amenizar sua pena, o presidiário Palocci sabe, porém, que terá de apresentar mais do que palavras. Enquanto isso, Lula, que nem pode dizer que não conhecia Palocci, poderá espernear dizendo que é tudo mentira, e ainda contar com o apoio descarado dos companheiros que reprovam Palocci, não pelo conteúdo de suas declarações, mas pelo seu dedurismo.

Não por mera coincidência, os outros escândalos dos últimos dias passam necessariamente pelos anos de desgoverno petista: a revelação do megaesquema de propina capitaneado pelo chefe do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Nuzman, para comprar votos no Comitê Olímpico Internacional (COI) e garantir o Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas – uma conquista de Lula, precedida por outra criminosa façanha, a da Copa do Mundo que só deixou dívidas e um monte de estádios ociosos, os conhecidos elefantes brancos. Dois eventos megalomaníacos que ajudaram a quebrar o País e encheram os bolso de muitos bandidos.

O lulopetismo foi tão danoso para o Brasil que deixou de herança até o vice que virou presidente. Eleito pelo petismo e coligados na chapa de Dilma, Michel Temer (PMDB) faz o diabo para se sustentar no poder, inclusive com a cooptação de congressistas com dinheiro público via emendas, para se livrar das denúncias de corrupção oriundas das suas relações subterrâneas com o afamado bandido Joesley Batista. Agora mesmo, passa por mais um constrangimento ao ver seu ex-ministro Geddel Vieira Lima voltar para a cadeia em razão da descoberta do bunker da corrupção, em Salvador, onde a PF achou R$ 51 milhões em malas de dinheiro vivo. Tudo, enfim, passou e tem passado por Lula. Tudo o que Lula tocava virava ouro. Agora, tudo vira lama.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso