Diário da Região

28/02/2015 - 22h50min

Investigação

Justiça Eleitoral mantém ação por compra de votos

Investigação

Alex Pelicer Candidato a deputado federal, Daniel Caldeira (camisa branca) subiu no palco, pegou o microfone e agradeceu aos presentes
Candidato a deputado federal, Daniel Caldeira (camisa branca) subiu no palco, pegou o microfone e agradeceu aos presentes

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em São Paulo, determinou prosseguimento de ação em que a Procuradoria Regional Eleitoral acusa de compra de votos o suplente de vereador de Rio Preto ex-candidato a deputado federal Daniel Caldeira (PSL). O ex-candidato participou de churrascada em Riolândia em 14 de setembro, menos de um mês antes da eleição.


A Procuradoria também acusa Caldeira de captação de sufrágio. A participação do então candidato na churrascada foi revelada com exclusividade pelo Diário. Há duas representações em curso no TRE que apuram irregularidades no evento. Uma apuração é sobre abuso do poder econômico e outra de captação de sufrágio, que pode resultar em multa e cassação do registro da candidatura e do diploma.


Equipe do Diário acompanhou o churrasco, que reuniu em torno de 200 pessoas no Recinto de Exposições de Riolândia, cidade que tem 10,5 mil moradores. Caldeira não conseguiu eleger-se deputado e recebeu cerca de 4 mil votos. Durante o churrasco, que teve distribuição gratuita de comida e bebida, Caldeira disse para os presentes "desfrutarem" na festa. Em dezembro , o TRE determinou que o então candidato apresentasse defesa da representação da Procuradoria.


Depois de analisar a defesa, o juiz eleitoral Roberto Maria, relator do caso, determinou o prosseguimento da apuração. O juiz determinou que seja realizada audiência na 268ª Zona Eleitoral de Rio Preto, quando devem ser ouvidas testemunhas. Na outra ação, a audiência será definida pela 125ª Zona Eleitoral de Rio Preto. As datas ainda não foram marcadas. Calderia sustentou, em sua defesa, que o evento foi realizado por "terceiro".

Alex Pelicer Caminhonete usada na campanha de Caldeira ficou estacionada do lado de dentro do recinto

Rafael Cavalini, que teria alugado o recinto por meio de comodato também é investigado.
"Deve-se dar prosseguimento na instrução processual. Assim sendo, expeça-se carta de ordem ao Juízo da 125ª Zona Eleitoral - São José do Rio Preto para que proceda à oitiva das testemunhas arroladas pelo representante e pelo representado em uma só assentada", determinou o juiz eleitoral, em despacho assinado na quarta-feira (25/02).

Segundo a representação da PRE, Caldeira "fez campanha eleitoral com farta distribuição gratuita de churrasco e bebidas, com acesso franqueado ao público." A multa em caso de condenação pode chegar a R$ 53 mil.

Discurso teve pedido de voto

Daniel Caldeira pediu votos abertamente durante o discurso realizado na churrascada em Riolândia. Ele ainda pediu que eleitores guardassem seu número de candidato. "Quero que vocês desfrutem bastante dessa festança, dessa reunião e obrigado pela presença de todos que estão aqui neste momento.

Gostaria que você guardassem o meu número 1717 no coração de vocês", afirmou Daniel Caldeira durante a festa. O discurso foi gravado e o vídeo colocado no Youtube posteriormente, mas retirado na sequência.

Alex Pelicer Convidados e assessores do candidato participaram da festa

O candidato, que é presidente do Sindicato dos Motoristas, já foi investigado por causa de outra festa. Em 2010, a churrascada foi realizada na sede do sindicato. Caldeira também era candidato a deputado federal e chegou ao evento de helicóptero.

No ano passado, ele firmou acordo na Justiça Eleitoral para escapar de possível condenação. Comprometeu-se a pagar multa equivalente a um salário mínimo à AACD durante dois anos.

O sindicalista não foi localizado para comentar a decisão do TRE de seguir com a nova ação contra ele. No ano passado, ele afirmou que o Ministério Público estava "equivocado".

Caldeira chegou a dizer que uma prova de que não tinha comprado votos é que não foi eleito e recebeu 4 mil votos. O advogado de Caldeira, Omar Hakim, também não foi localizado para comentar a decisão do TRE. O Diário deixou recados na caixa postal dos celulares de Caldeira e do advogado na sexta-feira.






>> Leia aqui o Diário da Região Digital

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso