Diário da Região

21/09/2015 - 21h54min

São Paulo

Defesa diz que recorrerá da condenação 'sem provas' contra Vaccari

São Paulo

A defesa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto afirmou na noite desta segunda-feira, 21, em nota, que não há, em nenhuma das 350 páginas da sentença condenatória "sequer uma única indicação de qualquer prova" contra ele. O comunicado, assinado pelo advogado de Vaccari Neto, o criminalista Luiz Flávio Borges Durso, afirma que a lei estabelece que não pode haver condenação criminal baseada exclusivamente em informações de delação premiada. O juiz federal Sérgio Moro condenou nesta segunda-feira Vaccari a 15 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa. De acordo com D'urso, a sentença "incorre nesse grave equívoco". Ele afirma que recorrerá contra a condenação. "Reitera-se que, em verdade, o sr. Vaccari, enquanto tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, cumprindo a obrigação que o cargo lhe impõe, sempre solicitou doação para seu partido, aliás, conduta esperada de qualquer tesoureiro de todos os partidos políticos, o que é absolutamente legal", escreveu o advogado. D'urso disse que "jamais o sr. Vaccari - e nunca se provou o contrário - solicitou, negociou ou recebeu qualquer recurso de origem ilícita". O advogado declarou também que não é obrigação do tesoureiro de qualquer partido investigar a origem do dinheiro que foi depositado como doação na conta da legenda. Segundo D'urso, a tarefa é de competência do Estado, por meio dos órgãos oficiais. "Dessa forma, não há crime algum na conduta de tesoureiro que indica a conta de seu partido, quando procurado por alguém que manifesta intenção de doar à agremiação política." Conforme a defesa, o "eventual recibo de depósito na conta do partido nada prova além da doação realizada legalmente". "A denúncia foi baseada exclusivamente em três delações, de Alberto Youssef, de Barusco e de Augusto Mendonça. Durante toda instrução processual, em que pese o imenso esforço da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, nenhuma prova foi produzida a confirmar tais versões, restando a absoluta ausência de provas contra o sr. Vaccari", escreveu o criminalista. Na análise de D'urso, a sentença contra Vaccari não considera partes de depoimentos desses delatores que isentariam o cliente de crime.
Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.