Diário da Região

14/10/2015 - 10h09min

Brasília

Senador do PMDB propõe lista tríplice e sabatina para titularidade da AGU

Brasília

Com o objetivo de despolitizar a indicação para o cargo de advogado-geral da União, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) apresentou uma proposta de emenda à constituição (PEC) propondo que o titular do cargo passe a ser escolhido por meio de ação conjunta entre o presidente da República e o Senado Federal, como acontece com o Procurador-Geral da República. Em entrevista ao Broadcast, Ferraço afirmou que o encaminhamento político que o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, está dando ao defender a presidente Dilma Rousseff no caso das "pedaladas fiscais" está "apequenando a AGU". A insatisfação com o posicionamento de Adams ocorre não apenas Congresso, mas também por parte de servidores do órgão ouvidos pela reportagem. Em justificativa à elaboração da PEC, Ferraço argumenta que "atualmente, em virtude do fato do Advogado-Geral da União ser de livre nomeação e exoneração por parte do Presidente da República, há uma flagrante preponderância do Poder Executivo sobre a AGU, muitas vezes em prejuízo da relação com os demais poderes da União". Outra diferença entre a gestão atual e a proposta pelo senador é de que o advogado-geral da União teria mandato de dois anos e não mais prazo indeterminado, como acontece hoje. Atualmente, tanto a escolha quanto a demissão são decisões da Presidência. Segundo a PEC, que está em tramitação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, ainda sem relator, o presidente receberia uma lista tríplice elaborada pela AGU e encaminhada ao Palácio do Planalto, que teria o poder de decisão. Para concluir a nomeação, haveria uma sabatina na CCJ e votação no plenário do Senado, com necessidade aprovação por maioria absoluta, ou seja, metade mais um dos senadores. De acordo com a Constituição Federal, é papel da AGU, "nos termos da lei complementar que dispuser sobre sua organização e funcionamento, as atividades de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo". Este argumento é usado pelo senador para questionar a condução de Adams à frente das contas da presidente Dilma. "Se ele pode defender a presidente quanto às suas contas, também pode defender o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sobre suas supostas contas na Suíça", diz Ferraço. Caso o projeto de Ferraço seja aprovado, o trâmite para escolha do advogado-geral da União seria semelhante ao seguido hoje para a definição do Procurador-Geral da República. No início do mês, Rodrigo Janot passou por sabatina durante mais de 10 horas até que sua recondução fosse aprovada no Senado Federal. A reportagem procurou o presidente da CCJ, responsável pela distribuição das relatorias, mas a assessoria do senador José Maranhão (PMDB-PB) não respondeu. A assessoria de imprensa da AGU também não respondeu até o fechamento desta reportagem.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.