Diário da Região

26/01/2016 - 00h00min

Pane em xeque

Oposição quer convocar chefe da Empro

Pane em xeque

Guilherme Baffi/ Arquivo Presidente da Empro, Lúcia Hirata, pode ser obrigada a apresentar explicações aos vereadores
Presidente da Empro, Lúcia Hirata, pode ser obrigada a apresentar explicações aos vereadores

A presidente da Empresa Municipal de Processamento de Dados (Empro), Lúcia Hirata, pode ser obrigada a apresentar explicações à Câmara sobre a falha que deixou 24 entidades assistenciais sem receber dinheiro de doações de contribuintes em Rio Preto neste ano. O Diário revelou com exclusividade, no último domingo, que a Caixa Econômica Federal devolveu as contribuições de empresas e pessoas físicas que tinham a intenção de participar do programa Destinação Solidária.

Uma falha no boleto emitido pela Prefeitura, por meio de um sistema desenvolvido pela Empro, provocou a perda de pelo menos R$ 300 mil que seriam destinados às entidades. As empresas podem contribuir com até 6% do Imposto de Renda (IR) devido, enquanto que as pessoas físicas podem doar até 1% do valor do imposto referente ao exercício do ano passado. Após o caso vir à tona, o vereador Marco Rillo (PT) decidiu protocolar requerimento no Legislativo da convocação da presidente da Empro. 

Segundo o petista, “é de suma importância que os vereadores que lutam em defesa das entidades, usem sua premissa para investigar falha considerada inadmissível, por atingir direta e indiretamente inúmeras pessoas dependentes das doações”. Além dos parlamentares, o promotor da Infância e Juventude, André Luís de Souza, adiantou que vai investigar o caso. Ele afirmou ainda que as entidades não vão ser prejudicadas com a perda de verbas que seriam usadas para viabilizar projetos e até pagar dívidas.

A situação é tão grave que o prefeito Valdomiro Lopes (PSB), ao tomar conhecimento do caso, determinou abertura imediata de sindicância, que pode culminar em processo administrativo com o objetivo de punir os responsáveis . As doações são feitas ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente (FMDCA), gerenciado pelo Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes (CMDCA). Integrantes do conselho já pediram explicações à Empro e à Caixa na semana passada.

O vereador Renato Pupo (PSD) não acredita que houve má-fé. Ele porém afirmou que houve “negligência” diante da quantidade de doações que deixaram de ser feitas às entidades assistenciais da cidade, como Associação Lar dos Menores (Alarme), Cáritas Diocesana e Instituto Espírita Nossa Lar (Ielar). “Pegou de surpresa. Foi realmente um ato de irresponsabilidade. Tem situações que precisamos ponderar, mas é uma questão administrativa grave”, afirmou Paulo Pauléra (PP). “As entidades já sofrem, porque nenhuma tem dinheiro em caixa e com isso trabalha no vermelho”, disse o parlamentar sobre o fato.

Sindicância

A Prefeitura de Rio Preto abriu sindicância para apurar a falha. O secretário de Administração, Luís Roberto Thiesi, disse ontem que inicialmente serão identificados servidores e secretarias que participam do programa Destinação Solidária. Thiesi considerou a falha grave. “Vamos verificar se houve negligência que pode resultar em processo administrativo. Sindicância a gente sabe como começa, mas não como termina. Vamos apurar a fundo”, disse.

 

 

 

>> Acesse aqui o Diário da Região Digital

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso