Diário da Região

22/07/2016 - 00h00min

ENCRENCADO

Procuradoria denuncia Lula por atrapalhar Lava Jato

ENCRENCADO

Ricardo Stuckert/ FotosPúblicas 26/3/2016 Ex-presidente é acusado de tentar impedir delação de Cerveró
Ex-presidente é acusado de tentar impedir delação de Cerveró

O Ministério Público Federal em Brasília apresentou nesta quinta-feira, 21, à Justiça denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS), o banqueiro André Esteves, o pecuarista José Carlos Bumlai e mais três pessoas acusadas de agir para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. O caso se refere à tentativa de impedir a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Caso a denúncia seja aceita pela Justiça Federal, Lula será transformado em réu pela primeira vez por fatos ligados à Lava Jato. Não há prazo para a conclusão do trâmite. Nesta quinta, o nome do juiz federal que vai analisar a denúncia não foi divulgado.

O procurador da República em Brasília Ivan Cláudio Marx reafirmou a acusação criminal feita em dezembro pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Lula e os outros seis.

O caso corria inicialmente no Supremo Tribunal Federal, mas foi remetido pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato na Corte, à Justiça do Distrito Federal após Delcídio ter o mandato cassado pelo Senado. Ele era a única pessoa com foro privilegiado e, sem o mandato parlamentar, a denúncia foi remetida à primeira instância.

Marx reiterou a acusação de Janot e ainda fez acréscimos à petição inicial para ampliar os fatos investigados.

Foram denunciados, além de Lula, Delcídio, Esteves e Bumlai, Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete do senador cassado, o advogado Edson de Siqueira Ribeiro, que atuou na defesa de Cerveró, e Maurício Bumlai, filho do pecuarista.

A denúncia ampliada pelo Ministério Público Federal do DF está sob sigilo e envolve crimes de organização criminosa, exploração de prestígio e patrocínio infiel (crime cometido pelo advogado que trai a confiança do seu cliente). O procurador pediu também à Justiça que derrube o segredo se a acusação for aceita.

Marx é o mesmo procurador que há uma semana entendeu não haver crime comum nas pedaladas da equipe do governo da presidente afastada Dilma Rousseff. Na ocasião, ele deu um parecer e mandou arquivar procedimento para apurar as manobras contábeis que foram um dos argumentos para embasar o processo de impeachment da petista, em curso no Senado.

PGR

Na denúncia apresentada anteriormente, Janot havia concluído que Lula teve um “papel central” na trama para “embaraçar” as investigações da Lava Jato em uma articulação para tentar comprar, por R$ 250 mil, o silêncio do ex-diretor da Petrobras. Delcídio foi o primeiro senador preso no exercício do mandato em novembro por tentar impedir o avanço da Lava Jato.

Cerveró deixou a prisão no mês passado após a Justiça Federal homologar sua delação premiada. Ele foi preso em janeiro de 2015 Entre outros fatos relatados na colaboração, o ex-diretor disse que a presidente afastada Dilma Rousseff sabia do esquema de pagamento de propina na estatal que beneficiava políticos do PT. Dilma nega.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso