Diário da Região

22/04/2015 - 22h00min

Brasília

Terceirizados de estatais poderão se beneficiar de direitos previstos no PL 4.330

Brasília

A Câmara dos Deputados aprovou uma emenda apresentada pelo PSDB como parte do projeto de lei regulamentando a terceirização no País (PL 4.330/2004), que define que trabalhadores terceirizados da administração pública e de sociedades de economia mista sejam beneficiados com os direitos da nova legislação. Foram 257 votos a favor, 38 contrários e 33 abstenções. O texto da emenda tucana, contudo, não definia que tipo de direitos seriam. A imprecisão recebeu críticas de partidos da base. "A interpretação do que serão os direitos pode ser duvidosa", disse o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A indefinição gerou confusão no plenário, com o PCdoB e o PDT ameaçando abandonar o plenário se a emenda se mantivesse em votação. Esses partidos, juntamente com PROS e PSOL passaram, então, a obstruir a votação. O PT e o PSB orientaram pelo voto contrário à emenda. A emenda da estava lastreada em outro texto sugerido pela líder do PCdoB, Jandira Feghali (RJ), que tentou retirar sua emenda para, com isso, eliminar a base de sustentação do texto tucano. Cunha decidiu, então, que ela não poderia retirar a própria emenda. Jandira protestou acusando Cunha de atropelar o regimento da Câmara. Cunha rebateu: "O regimento se trata de interpretação e não cabe a senhora decidir se a interpretação que estou dando cabe de arbítrio. Jamais tomo a decisão com base em juízo de valor do dia." 'Monstrengo' O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) chamou a emenda de "monstrengo". Segundo ele, o PSDB criou uma divisão para que as empresas públicas não fossem submetidas à lei 4.330. O PSDB já havia sugerido uma emenda há duas semanas, que foi aprovada, definindo a terceirização integral não valeria para órgãos públicos e estatais como a Petrobras, Caixa Econômica e Banco do Brasil. Com isso, as empresas públicas não poderão terceirizar suas atividades-fim, apenas operações acessórias (atividades-meio). O projeto cujo texto final foi aprovado hoje prevendo que para todos os segmentos da atividade privada, a terceirização valerá tanto para atividades-fim quanto para atividades-meio. O vice-líder do partido, deputado Antônio Imbassahy (PSDB-BA), defendeu a emenda. "No fundo garante a todos os trabalhadores, seja de empresas públicas ou privadas, os mesmo direitos trabalhistas", afirmou.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso