Diário da Região

30/03/2017 - 00h00min

Corte

Projeto acaba com 14 cargos de apadrinhados na Câmara

Corte

Guilherme Baffi Dornelas, autor da proposta: nega retaliação contra o presidente Jean Charles, que o deixou fora de CPI
Dornelas, autor da proposta: nega retaliação contra o presidente Jean Charles, que o deixou fora de CPI

O vereador Jean Dornelas (PRB) protocolou nesta quarta-feira, 29, projeto que acaba com 14 dos 17 cargos de livre nomeação da Presidência da Câmara de Rio Preto, a começar pelos diretores jurídico, administrativo, legislativo, de finanças e da TV Câmara. De acordo com Dornelas, a economia anual com a aprovação da proposta chegará a R$ 1,7 milhão, incluindo as gratificações de 35% que esses servidores recebem para acompanhar as sessões. Em quatro anos, a economia chegaria a R$ 7 milhões, acrescenta o vereador.

Dornelas nega que a proposta seja “retaliação” ao presidente da Casa, Jean Charles (PMDB), depois que ele impediu Dornelas de participar da CPI das Obras Antienchente. “Nem pensei nisso. É um exagero o total de cargos de confiança que existem hoje na Câmara. Quero acabar com as ‘gorduras’. Estou tratando como minirreforma administrativa,” disse Dornelas.

O Diário apurou que o vereador já tem apoio de colegas como José Carlos Marinho (PSB) - que criticou recentes nomeações de Jean Charles, como a de uma aliada da vereadora Márcia Caldas (PPS) -, Fábio Marcondes (PR) e Paulo Pauléra (PP). A proposta não prevê extinção de assessores de gabinetes de vereadores, que podem nomear até três apadrinhados. O projeto promete acirrar as discussões entre vereadores que fazem oposição a Jean Charles e os aliados do atual comandante do Legislativo, que também foram a base aliado do prefeito Edinho Araújo (PMDB) na Casa.

O peemedebista nega ter “negociado” cargos com aliados. Admite que recebe currículos de vereadores, mas não só, e que a decisão final é dele. “Não tenho cabo eleitoral nomeado na Câmara e não tenho problema algum em discutir redução de cargos”, disse o presidente, que vai encaminhar a proposta para as comissões.

Jean Charles, que nomeou 13 dos 17 cargos, desde que assumiu a presidência em janeiro. Ele presidente afirmou que esta elaborando proposta semelhante, mas com redução menor de cargos. Seriam extintas duas diretorias e cinco cargos em comissão. “Se os vereadores acharem que é preciso cortar mais, por mim, não há problema algum. Só acho meio precipitado, pois existe a questão administrativa”, disse.

 

Arte - Corte de Apadrinhados - 30032017 Clique na imagem para ampliar

“Sensacionalista”

Para o vereador Marco Rillo (PT), Dornelas só quer chamar a atenção com a proposta. “O presidente já falou que irá fazer cortes. Estão querendo agora é fazer sensacionalismo”, afirmou petista.

Votação a jato

A proposta foi protocolada no sistema da Câmara às 17h57 desta quarta. A assessoria de Dornelas deve apresentar nesta quinta, 30, a proposta diretamente na Diretoria Legislativa para o que projeto seja lido na sessão da próxima terça-feira, 4. Vereadores já discutem reunir assinaturas para votar o projeto em urgência, pela legalidade e mérito, na sessão da semana seguinte, dia 11.

Proposta prevê plano de cargos e salários

A proposta de Jean Dornelas já vinha sido debatida, sem alarde, entre os vereadores que fazem oposição ao atual presidente. Paulo Pauléra (PP) e Fábio Marcondes (PR) afirmam que irão votar a favor. Pauléra, porém, disse que irá analisar a apresentação de um projeto substitutivo.

“Realmente não vejo necessidade de mais de dez cargos comissionados para a Presidência. Sou a favor do projeto, mas com modificações”, afirmou Pauléra, que já presidiu a Casa. O projeto de Dornelas, além da extinção de cargos, prevê a criação de uma comissão para elaborar plano de cargos e carreira no Legislativo.

Na justificativa da projeto, Dornelas cita que concurso recém-realizado na Câmara para preenchimento de cerca de 20 cargos permite o corte que ele propõe agora, com a substituição de comissionados por servidores de carreira.

“Entendemos que o momento atual requer sacrifício, e tal redução proposta se alinha às necessidades e possibilidades de economia atual”, diz também o vereador na justificativa da proposta. O projeto ainda prevê que o cargo de diretor-geral da Casa deve ser ocupado por pessoa com curso superior. Se for aprovada, a lei que extingue os cargos deve entrar em vigor em 30 dias. O projeto precisa de nove votos para ser aprovado em plenário.

(Colaborou Rodrigo Lima)

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso