Diário da Região

06/06/2017 - 14h08min

Meio Ambiente

Acordo tenta 'salvar' bosque em Jales

Meio Ambiente

O Ministério Público Federal (MPF) e a prefeitura de Jales assinam nesta terça-feira, 6 , Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o objetivo de revitalizar o bosque municipal. O espaço, um dos únicos da cidade aptos a promover o lazer da população, está praticamente inativo e em situação de abandono há muito tempo.

"Com o acordo, a Prefeitura se compromete a elaborar e executar o projeto de revitalização em até 30 meses, o qual deverá incluir a edificação de áreas de recreação, a ampliação e recuperação das trilhas ecológicas e a construção de quiosques para lazer e descanso dos visitantes", consta em nota da assessoria do MPF.
 
Em 2016, foi aberta investigação para apurar o mau uso de recursos federais destinados ao município para a urbanização do bosque, já que a Prefeitura de Jales recebeu R$ 146 mil do Ministério do Turismo para recuperação do espaço em 2008. "As investigações mostraram que o convênio com a União foi executado, e sua prestação de contas, realizada. Mas, apesar dos investimentos, o parque ainda não possui condições de atender a população", consta na nota.
 
Buscando reverter a atual situação de abandono, o TAC assinado nesta terça-feira impele a Prefeitura a realizar no prazo de três meses ações imediatas de limpeza e sinalização. Entre as obrigações estão as de remover os entulhos do local, promover o cercamento e a vigilância, instalar placas educativas ou proibitivas e catalogar as espécies nativas do bosque.

Reforma 

O projeto de revitalização deverá ser apresentado ao MPF no prazo de seis meses, e, após aprovado, o município terá até dois anos para concluir as reformas. Além da criação de playgrounds e quiosques, o projeto deverá garantir a acessibilidade das trilhas ecológicas e incluir um plano de gestão e vigilância do espaço.

Com o acordo, a Prefeitura também se compromete a promover iniciativas para a efetiva utilização do bosque e a participação da comunidade, como caminhadas e passeios ciclísticos, encontros culturais ao ar livre, e projetos de educação sanitária e ambiental em parceria com escolas públicas e particulares.
 
Para o procurador da República José Rubens Plates, responsável pelo inquérito, é urgente a necessidade de revitalização do espaço pela Prefeitura. “Além de área de lazer, o bosque Aristóphano Brasileiro de Souza funciona como atrativo turístico de Jales, com potencial para fomentar a educação e a preservação do meio ambiente. O cumprimento deste acordo é fundamental para que se alcance a efetiva funcionalidade e proteção desse relevante espaço público”, afirmou.
 
Em caso de descumprimento das obrigações assumidas, a Prefeitura deverá pagar multa diária de R$ 1 mil.
 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso