Diário da Região

01/06/2017 - 00h00min

COPA DO BRASIL

Gol fora põe o Palmeiras nas quartas de final

COPA DO BRASIL

Fabio Menotti/Agência Palmeiras O atacante palmeirense Willian tenta escapar da marcação do Inter durante a partida de ontem
O atacante palmeirense Willian tenta escapar da marcação do Inter durante a partida de ontem

As três derrotas consecutivas do Palmeiras na temporada servem como alerta mesmo com a equipe classificada para as quartas de final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, o Verdão levou de 2 a 1 do Internacional, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, e só avançou graças à bola parada. O velho estilo “Cucabol” salvou a equipe de ser punida pela atuação ruim e escolhas equivocadas na escalação. A vaga veio pelo desempate nos gols como visitante.

O Alviverde teve em Porto Alegre um meio de campo sem armadores, um zagueiro improvisado no ataque, volantes na defesa e uma noite de futebol desastroso. Já o Internacional jogou melhor, mesmo com treinador interino e sob ameaça de exclusão do Campeonato Brasileiro da Série B como punição por uma suposta falsificação de e-mail.

A vantagem alviverde de 1 a 0 construída no estádio Allianz Parque, em São Paulo, era magra, é verdade, e faltou uma grande dose de organização para fazê-la durar mais do que só oito minutos. Antes de D’Alessandro aparecer livre na frente de Fernando Prass e abrir o placar, o Internacional já havia descoberto o caminho pelo lado direito do ataque. Uma série de sustos pelo setor antecederam o gol e continuaram a se repetir enquanto o time cambaleava em campo.

O Palmeiras conseguiu acordar na bola, mas não no placar. As duas primeiras investidas do time esbarraram em lances polêmicos da arbitragem, com um gol anulado de Róger Guedes e a uma bola na mão de Léo Ortiz após chute de Willian. A equipe alviverde havia superado o susto inicial e começado a avançar ao ataque quando perdeu Dudu. O atacante sentiu uma lesão e deixou o campo ainda no primeiro tempo para a entrada de Keno.

A alteração forçada testou ainda mais um Palmeiras já bem modificado. O técnico Cuca escalou o time no 4-3-3, sem armadores de origem, somente com volantes no setor de meio de campo. Porém, diante de uma vantagem aniquilada aos oito minutos e com o primeiro tempo concluído com a derrota em 1 a 0, o segundo trazia como dúvida qual seria a estratégia em campo para evitar a decisão nos pênaltis.

A equipe mudou ao recuar Felipe Melo para defesa e a situação do jogo piorou. O atalho pela direita novamente foi o caminho para o gol do Internacional, com o atacante uruguaio Nico López, aos 10 minutos. O resultado passava a eliminar o Palmeiras. Cuca resolveu logo depois acionar o atacante colombiano Borja, na última substituição possível. A criação parou de ser um grande problema porque o Internacional recuou cedo para garantir o resultado e permitiu o Palmeiras avançar. 

Uma finalização de Willian acertou a trave e deu a senha para o treinador voltar a apostar no zagueiro colombiano Mina como atacante. Por sorte do Palmeiras, a improvisação durou pouco. Quase como um presente, uma bola parada, ou seja, um “Cucabol” rendeu o gol de Thiago Santos, aos 34 minutos. Depois, foi apenas se segurar na defesa. Era a derrota indolor tão sonhada pelo time.

Internacional 2 X 1 Palmeiras

Ficha Técnica

Internacional

Danilo Fernandes; William (Danilo Silva), Léo Ortiz, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Felipe Gutiérrez (Brenner), Edenílson e D’Alessandro; Marcelo Cirino (Eduardo Sasha) e Nico López. Técnico: Odair Hellmann (interino).

Palmeiras

Fernando Prass; Fabiano, Mina, Edu Dracena (Thiago Santos) e Zé Roberto; Felipe Melo, Jean e Tchê Tchê; Róger Guedes (Borja), Willian e Dudu (Keno). Técnico: Cuca.

Gols: D’Alessandro aos 8 minutos do 1º tempo. Nico López aos 10 e Thiago Santos aos 34 minutos do 2º tempo. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG). Renda: não disponível. Público: 35.766 pagantes. Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, nesta quarta-feira à noite.

STJD pode excluir o Inter da Série B

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) concluiu o inquérito sobre as suspeitas de falsificação de documentos no caso Victor Ramos por parte do Internacional. Segundo o relatório, dirigentes e advogados do time gaúcho usaram e-mails adulterados e, como possível punição, o clube pode ser expulso da Série B do Brasileiro.

De acordo com o auditor Mauro Marcelo de Lima e Silva, o clube não foi diretamente responsável pela adulteração do conteúdo dos e-mails trocados entre a Diretoria de Registro e Transferência da CBF e o Vitória. A perícia aponta que o responsável pela modificação dos e-mails foi Francisco Godoy, empresário de Victor Ramos. Porém, o Inter usou o conteúdo das conversas para tentar fazer com que o Vitória fosse punido por uma suposta escalação irregular do jogador.

O relatório cita o artigo 61 do Código Disciplinar da Fifa, que prevê multa para a utilização de documentos falsificados e aponta a possibilidade de expulsão do time de uma competição. O documento do STJD, que sugere a denúncia do clube, do ex-presidente Vitório Piffero e de outros cartolas, será encaminhado à Procuradoria da Justiça Desportiva, que fará a denúncia nos próximos dias. 

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso