Diário da Região

22/07/2015 - 12h48min

São Paulo

Acrefi: 84% dos consumidores pretendem economizar mais em 2015

São Paulo

A situação econômica do Brasil, que passa por um período de ajuste e dificuldades, tem refletido no comportamento do consumidor que continua se mostrando cauteloso no momento das compras e do endividamento, de acordo com pesquisa sobre a percepção da oferta de crédito, consumo e do sentimento em relação ao futuro, promovida pela Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) em parceira com a TNS Brasil, líder global em pesquisa de mercado. A maior parte dos consumidores - 84% - afirmou que pretende mudar o padrão de consumo economizando mais em 2015. O número é quase o mesmo do registrado no primeiro trimestre do ano, quando 85% dos entrevistados já tinha informado que alterariam o padrão de consumo. No último trimestre de 2014 esse porcentual era de 75%. "O consumidor está mais preocupado em dar conta dos compromissos que já tem", afirmou o economista-chefe da Acrefi, Nicola Tingas. De acordo com o levantamento, que avaliou a percepção dos consumidores no segundo trimestre de 2015 frente aos três primeiro meses do ano, 92% dos entrevistados disseram que a inflação é a principal responsável pelo freio na decisão de novos financiamentos. Entre o primeiro e o segundo trimestre subiu de 76% para 84% o total de consumidores que disseram não ter a intenção de fazer um financiamento em 2015. Além de se mostrar mais propenso a economizar, o consumidor está mais pessimista. Segundo a pesquisa, subiu de 66% em abril para 71% em julho o total de consumidores que acredita que a situação financeira do País é ruim ou péssima. "O desemprego continua impactando no otimismo dos consumidores", afirmou Tingas. Para 86% dos entrevistados, o desemprego vai aumentar nos próximos meses, ante 81% apontado no levantamento do primeiro trimestre deste ano. Segundo Tingas, é preciso criar um ambiente macroeconômico mais favorável para que os investimentos sejam retomados e reflitam na recuperação da confiança do consumidor. "Talvez, neste período de ajuste, o consumidor não tenha um comportamento tão expansivo", avaliou. "A economia no Brasil e na América Latina tem um víeis mais consumista, mais otimista, mas é preciso que se mude as condições da economia para que haja mais consumo", explicou. O levantamento, que ouviu mais de 1 mil pessoas de todas as regiões do País, mostrou ainda que subiu a parcela de consumidores com algum tipo de dívida, 68% frente aos 62% registrados em abril. O cartão de crédito é a modalidade que mais contribuiu para o endividamento do consumidor. Enquanto 75% das pessoas declararam ter dívida de cartão de crédito, 29% disseram dever em carnê ou boleto, 21% em financiamento de carro, 18% em financiamento imobiliário, 15% no CDC, 3% em leasing e 3% declaram ter outros tipos de dívidas.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Apóss o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Ap�s o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.