Diário da Região

28/08/2015 - 19h02min

São Paulo

Bolsas de Nova York fecham sem direção única, com investidores atentos ao Fed

São Paulo

As bolsas de Nova York encerraram esta sexta-feira, 28, sem direção única, após terem oscilado entre leves altas e baixas durante a maior parte do pregão. Na semana, entretanto, todas registraram ganhos. O índice Dow Jones fechou em queda de 0,07%, aos 16.643,01 pontos; o S&P 500 avançou 0,06%, para 1.988,87 pontos e o Nasdaq ganhou 0,32%, aos 4.828,33 pontos. Na semana, o Dow Jones subiu 1,11%, o S&P 500 teve elevação de 0,91% e o Nasdaq avançou 2,60%. Os investidores evitaram tomar posições nesta sessão, indecisos sobre como interpretar os comentários de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), feitos durante o simpósio anual de política monetária em Jackson Hole. O vice-presidente da instituição, Stanley Fischer, comentou que "é muito cedo para dizer" se os juros dos EUA serão elevados no próximo mês. Segundo ele, as mudanças no câmbio da China terão "algum pequeno impacto" nas avaliações do Fed. Fischer disse estar "esperando para ver como isso se desenvolve", mas ressaltou que aguardará os próximos dados econômicos para tomar qualquer decisão. Fischer não foi o único dirigente do Fed a fazer comentários hoje, mas foi o que mais influenciou os mercados. Antes dele, a presidente da regional de Cleveland, Loretta Mester, e o presidente da unidade de Minneapolis, Narayana Kocherlakota - ambos sem direito a voto nas reuniões de política monetária -, expuseram visões opostas sobre quais deveriam ser os próximos passos da instituição. Para Mester, a economia dos EUA está pronta para um aumento nos juros, enquanto Kocherlakota disse não ser uma boa ideia elevar as taxas em 2015, já que a inflação estaria muito baixa e levaria anos para voltar a subir. O presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart, que nos últimos dias suavizou seu discurso ao deixar de citar setembro como possível mês para elevação dos juros, comentou que existe uma certa ansiedade em se iniciar o ciclo de aperto monetário, mas que "dados os eventos das últimas semanas, um fator de risco surgiu". Após o pânico do início da semana, o Xangai Composto, principal índice acionário da China, teve fortes ganhos pelo segundo pregão consecutivo. A alta de 4,82% nessa sessão aliviou os investidores, que se voltaram também para os dados da economia americana. A renda pessoal subiu 0,4% entre junho e julho, como previsto. O consumo aumentou 0,3% no período, ligeiramente abaixo da previsão de alta de 0,4%, e o índice de preços do PCE, medida de inflação preferida do Fed, avançou 0,1%. O núcleo do índice teve alta de 1,2% nos 12 meses encerrados em julho, ainda abaixo da meta de 2% da autoridade monetária.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso