Diário da Região

19/09/2017 - 00h00min

MERCADO FINANCEIRO

Ibovespa sobe 0,31% e renova recorde

MERCADO FINANCEIRO

Henrique Barra Mansa/Wikimedia Commons As ações da CNS apresentaram forte valorização: as ações ON encerraram com alta de 3,41%
As ações da CNS apresentaram forte valorização: as ações ON encerraram com alta de 3,41%

O Índice Bovespa renovou seu recorde histórico nesta segunda-feira, 18, e atingiu pela primeira vez no intraday o patamar dos 76 mil pontos. Em um dia de noticiário doméstico brando, a subida das bolsas de Nova York para novos patamares recordes acabou por dar impulso às ações brasileiras, mesmo que moderado. O Ibovespa terminou o dia em 75.990,40 pontos, em alta de 0,31%, depois de ter atingido a máxima de 76.403,57 pontos (+0,85%).

"O Ibovespa está bastante esticado, mas vem absorvendo realizações de lucros pontuais que ocorrem durante o pregão. Na prática, o investidor quer recolher parte dos lucros, mas se sente desestimulado quando olha as bolsas de Nova York em alta e o cenário doméstico sem grandes riscos", disse Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença Corretora

Monteiro e outros profissionais ouvidos observam que a bolsa está em um momento de grande popularidade, devido aos sucessivos recordes que vem batendo. Para eles, a grande repercussão dos bons resultados tende a trazer para o mercado um contingente de investidores pessoa física interessados em aproveitar o bom momento.

Em geral, momentos como esse costumam ser a "senha" para correções na bolsa. "Desta vez, não se sabe se é isso o que vai acontecer, uma vez que o cenário interno não mostra grandes riscos", disse um profissional. A alta do dia foi possível graças à valorização das ações do setor financeiro, que operou majoritariamente em terreno positivo. Itaú Unibanco PN, ação mais importante do Ibovespa, subiu 0,71%, enquanto Banco do Brasil ON ganhou 1,38%.

A expectativa otimista para a economia e para os setores de mineração e siderurgia levaram Vale ON a uma alta de 1,33%, que contribuiu para alavancar papéis como CSN ON (+3,41%) e Gerdau PN (+0,82%). Usiminas PNA subiu 7,14% e foi a maior alta entre as ações que integram o Ibovespa, refletindo particular otimismo dos investidores com a empresa, que passa por processo de reestruturação.

Na ponta contrária esteve JBS ON, liderando as perdas do índice com -3,95%. A queda interrompeu uma sequência de três altas consecutivas e refletiu a decisão do Conselho de Administração da empresa de escolher José Batista Sobrinho como presidente do grupo, em substituição ao seu filho Wesley, preso na semana passada acusado de atuar no mercado com insider information.

Dólar

Em dia de noticiário interno mais ameno, o dólar operou em alta nesta segunda-feira, 18, atrelado ao exterior. Lá fora, a moeda americana deu continuidade ao movimento de correção iniciado na semana passada, especialmente ante moedas emergentes e ligadas a commodities, com os investidores na expectativa pelo principal evento da semana: a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed).

No mercado à vista, o dólar fechou em alta de 0,66%, aos R$ 3,1338. O giro financeiro somou US$ 1,94 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1094 (-0,12%) e, na máxima, aos R$ 3,1363 (+0,74%). No mercado futuro, o dólar para outubro subiu 0,79%, aos R$ 3,1430. O volume financeiro movimentado somou US$ 17,98 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1155 (-0,09%) a R$ 3,1430 (+0,78%).

 

José Batista Sobrinho - 19092017 José Batista Sobrinho, que assumiu o controle da JBS

JBS perde R$ 955 milhões

Em mais um pregão com recorde histórico de pontuação do Ibovespa, as ações da JBS foram o destaque negativo da bolsa e registraram queda de 3,95% nesta segunda-feira, 18, o que representa uma perda de R$ 955 milhões em valor de mercado para a empresa. A desvalorização sofrida pelos papéis da processadora de carne ocorre no primeiro pregão após seu conselho de administração anunciar a escolha de José Batista Sobrinho, fundador da JBS e pai dos irmãos Wesley e Joesley Batista, para a presidência da companhia.

O Ibovespa, por sua vez, encerrou o pregão em alta de 0,31%, aos 75.990,40 pontos. Durante o dia, o indicador chegou a alcançar o patamar inédito de 76.403,57 pontos. A reação do mercado à notícia de que Zé Mineiro, como é conhecido o patriarca da família, assumirá o comando do frigorífico interrompe uma sequência de três pregões com variação positiva da ação da JBS, nos quais acumulou uma alta de 9,5%. Os ganhos consecutivos foram impulsionados pela expectativa de mudanças na administração, frustrada com o anúncio do substituto de Wesley.

Segundo a equipe de análise do BTG Pactual, a decisão do conselho de administração de alçar José Batista Sobrinho ao comando da JBS reitera a posição de controle da família e esvazia de sentido os recentes rumores sobre a possibilidade de uma venda de parte da companhia pelos Batista. Outro ponto importante, avaliam os analistas, é o atraso na "tão esperada transição para uma gestão profissional". 

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.