Diário da Região

20/02/2017 - 13h22min

São Paulo

Relator quer incluir crime de responsabilidade a gestor que não pagar Previdência

São Paulo

Relator da reforma da Previdência na Câmara, o deputado Arthur Maia (PPS-BA) defendeu nesta segunda-feira, 20, que o seu parecer inclua crime de responsabilidade para gestores públicos que não pagarem a previdência dos funcionários públicos. A declaração foi dada durante encontro com a Força Sindical, após um membro da central sindical ter sugerido a inclusão da medida no parecer do deputado. "Foi uma grande contribuição do evento de hoje", disse o deputado. "Eu não tenho dúvida que essa questão da gestão pública é fundamental para conter o déficit da previdência", acrescentou. Sobre a proposta do governo de estabelecer uma idade mínima de 65 anos para a aposentadoria, medida que é criticada pelo deputado Paulinho da Força (SD-SP), presente no evento, o relator do projeto evitou se posicionar contra ou a favor, mas ressaltou que, enquanto os trabalhadores pobres das zonas urbanas têm se aposentado com 65 anos, muito brasileiros "privilegiados" têm se aposentado com "40 ou 50 anos". Ele foi claro, no entanto, no seu posicionamento contra a distinção entre aposentadorias urbanas e rurais. O deputado voltou a dizer que pretende entregar o parecer do projeto até o dia 20 de março.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso