Diário da Região

13/01/2017 - 19h45min

São Paulo

Bolsas fecham mistas em NY após setor financeiro perder força

São Paulo

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única na sessão desta sexta-feira, 13, influenciadas pelos balanços de bancos no início do dia. No entanto, o setor financeiro, que liderava os ganhos logo após a abertura dos mercados acionários, passou a perder forças ao longo do dia. O índice Dow Jones encerrou o pregão em queda de 0,03%, aos 19.885,73 pontos. O S&P 500 avançou 0,18%, aos 2.274,64 pontos, e o Nasdaq subiu 0,48%, aos 5.574,12 pontos, renovando seu recorde de fechamento. Na semana, o Dow Jones perdeu 0,39% e o S&P 500 cedeu 0,10%; já o Nasdaq ganhou 0,96%. As ações de companhias ligadas ao setor financeiro avançaram fortemente no início da sessão, reagindo à divulgação de balanços positivos por parte de três grandes bancos: JPMorgan, Bank of America e Wells Fargo. No entanto, o movimento de alta visto na abertura não se sustentou ao longo do pregão, com os papéis do JPMorgan entrando no vermelho e os do Bank of America chegando próximos da estabilidade. O setor financeiro registrou uma forte alta após as eleições de novembro, quando Donald Trump foi eleito presidente dos EUA. A expectativa dos investidores era em relação a promessas do bilionário para cortar impostos e aumentar os investimentos em infraestrutura. Entre 8 de novembro e 8 de dezembro, as ações financeiras negociadas no S&P 500 subiram 18%. Desde então, o setor oscilou perto da estabilidade, subindo aproximadamente 0,1%. "Muitos investidores sentiram que o rali pode ter sido muito rápido após a eleição", disse Nicholas Angilletta, chefe de mercado de capitais do Deutsche Bank. Esse sentimento fez com que, mesmo com os balanços, os bancos ficassem longe dos fortes ganhos registrados durante o pregão. O JPMorgan fechou em alta de 0,45%; o Bank of America ganhou 0,31% e o Wells Fargo avançou 1,48%. Até a posse de Trump, em 20 de janeiro, "o mercado irá aguardar por sinalizações", disse Randy Frederick, vice-presidente de negociação e derivativos da Schwab, indicando que os investidores ainda esperam por clareza em relação aos itens da agenda econômica do presidente eleito. Além dos balanços, a Lockheed Martin esteve em destaque nesta sexta-feira. A CEO da companhia, Marillyn Hewson, se reuniu com Trump e afirmou que está perto de fechar um acordo sobre o próximo lote de aviões de combate F-35. Com o anúncio, as ações da companhia fecharam em alta de 0,77%. Já o Nasdaq renovou novamente seu recorde de fechamento pela quarta vez na semana. As ações das empresas de tecnologia avançaram à medida que os investidores abandonavam papéis de companhias financeiras. Hoje, a Microsoft anunciou que adquiriu uma startup em Montreal que se concentra na inteligência artificial. A medida fez com que a companhia subisse 0,14%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso