Diário da Região

22/07/2015 - 00h00min

HISTÓRIA

Livro de rio-pretense analisa trajetória política de Jânio Quadros

HISTÓRIA

Sergio Isso Livro é fruto da pesquisa de Thiago Fidelis para o mestrado em história. Obra analisa trajetória de Jânio através das páginas do jornal Estadão da época
Livro é fruto da pesquisa de Thiago Fidelis para o mestrado em história. Obra analisa trajetória de Jânio através das páginas do jornal Estadão da época

Conhecido popularmente pelas contradições que marcaram seu breve mandato como Presidente da República, Jânio Quadros (1917-1992) tem sua trajetória política antes da sua chegada ao Planalto analisada no livro “Tostão Contra o Milhão” (Editora Multifoco), fruto da pesquisa feita pelo rio-pretense Thiago Fidelis para seu mestrado em história na Unesp de Franca. O lançamento do livro será hoje à noite, na livraria Empório Cultural.

“Queria compreender como alguém que não era ligado a grandes partidos políticos teve uma trajetória tão intensa, com vitórias surpreendentes em sucessivas eleições”, declara Fidelis, que em sua pesquisa tomou como base as notícias sobre Jânio Quadros veiculadas pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

O rio-pretense concentrou sua análise entre os anos de 1947 e 1955, período que envolve o ingresso de Jânio Quadros na política, como vereador em São Paulo, até sua surpreendente eleição como governador do Estado. O pesquisador mergulhou em mais de duas mil edições do Estadão para analisar o tratamento dado a Jânio Quadros pelo jornal durante os oito primeiros anos de sua vida política.

Diferentemente da atual cobertura política, o jornal tinha um posicionamento editorial muito claro em suas reportagens, se colocando em oposição a Jânio, apesar das inúmeras afinidades ideológicas entre o veículo de imprensa e o político.

“Já no seu mandato como vereador, Jânio Quadros tinha uma abordagem que se diferenciava da maioria dos políticos da época. Moralista e polêmico, ele sempre fazia estardalhaços nas sessões do Legislativo e deixava as portas de seu gabinete abertas aos cidadãos”, relata Fidelis.

No início dos anos 1950, Jânio Quadros foi o candidato a deputado estadual mais bem votado em São Paulo, um feito até então desconhecido para um político de um partido pequeno. “Na Assembleia Legislativa, ele manteve a mesma postura polêmica, dando início a sua projeção nacional.”

 

MEMORIA SAO JOSE DO RIO PRETO Passagem de Jânio Quadros por Rio Preto já como governador de São Paulo

Vitória do tostão

O título do livro do pesquisador rio-pretense faz referência ao slogan usado por Jânio Quadros em sua campanha para prefeito de São Paulo, em 1953, quando os maiores partidos políticos, tanto da situação como da oposição, se uniram em torno de um único nome para a disputa do cargo: o médico Francisco Cardoso.

“Nessa campanha eleitoral, o Estadão apoiou o candidato indicado pela união desses grandes partidos. Até mesmo Jânio Quadros não dava sua vitória como certa, se considerando um ‘tostão’ no duelo contra um ‘milhão’, tamanha era a força do conglomerado de partidos”, esclarece o rio-pretense.

Contrariando todas as previsões, Jânio Quadros venceu a eleição para prefeito de São Paulo, a primeira da história realizada pelo voto direto. Conquistou o voto da maioria dos paulistas mesmo em meio a enxurrada de notícias do Estadão que evidenciavam seu visual desleixado e suas excentricidades, como o hábito de sempre levar um pão com mortadela no bolso para comer durante os seus comícios.

A cobertura do jornal exaltou os erros do então prefeito durante sua campanha para o cargo de governador de São Paulo, em 1954, quando Prestes Maia era o candidato da UDN, um dos maiores partidos da época. “O Estadão apoiou a candidatura de Prestes Maia para evitar a reeleição de Ademar de Barros, interventor do governo Vargas a quem o jornal fazia oposição. No entanto, a vitória foi de Jânio Quadros, e por meio dela ele começou a trilhar seu caminho rumo ao Planalto.”

 

JORNAL DIARIO DA REGIAO Jânio Quadros: um tostão que se sobressaía aos “milhões” da política

Pesquisas de voto

Um dado interessante levantado pelo rio-pretense em seu trabalho é a ausência das pesquisas de intenção de voto naquela época, convidando o leitor a refletir sobre a influência delas nos pleitos realizados pós-Diretas Já.

“Apesar de não estar no foco do meu trabalho, as pesquisas demonstram certa influência nas intenções de votos dos eleitores, seja para evitar a passagem de determinado candidato ao segundo turno ou pelas poucas chances de um candidato escolhido inicialmente.”

Por meio da trajetória de Jânio Quadros, “Tostão Contra o Milhão” colabora na compreensão da política paulista durante o período democrático que antecedeu a ditadura militar.

Serviço:
Lançamento do livro “Tostão Contra o Milhão”, de Thiago Fidelis. Editora Multifoco. 266 páginas. Hoje, às 19h30, na livraria Empório Cultural (Riopreto Shopping). Preço: R$ 46

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso