Diário da Região

06/09/2017 - 00h00min

BASTIDORES DA LEI

Polícia Federal: a Lei é para Todos tem pré-estreia em Rio Preto

BASTIDORES DA LEI

Ique Esteves/Divulgação Antonio Calloni e Flávia Alessandra interpretam delegados da Polícia Federal
Antonio Calloni e Flávia Alessandra interpretam delegados da Polícia Federal

Um comentário comum em relação aos esquemas de corrupção que vêm sendo revelados em todo o Brasil durante os últimos anos é de que nem os roteiristas de Hollywood conseguiriam ser tão criativos. A política brasileira tem rendido tantas reviravoltas e momentos chocantes que nem House of Cards, série da Netflix que retrata toda a podridão que existe nos bastidores políticos dos Estados Unidos, consegue superar. Eles mesmos já brincaram com toda a situação comentando que “tá difícil competir”.

Pois bem, parece que o produtor Tomislav Blazic ouviu esses comentários e resolveu levar a sério essa brincadeira. O resultado é Polícia Federal: A Lei é Para Todos, que tem pré-estreia em Rio Preto nesta quarta-feira, 6, antes de entrar em cartaz oficialmente na quinta-feira, 7 de setembro, uma data bem simbólica, mas que a equipe do filme garante não passar de uma coincidência causada por uma decisão mercadológica.

“As datas não são baseadas só na vontade da gente. Há decisões estratégicas dos distribuidores, que levam em conta outros lançamentos, janelas de estreias de filmes nacionais, todos os fatores para que o filme vá bem”, afirmou o diretor do longa Marcelo Antunez na coletiva de imprensa realizada em Curitiba na terça-feira, 29 de agosto, que o Diário acompanhou logo após a pré-estreia nacional, no último dia 28.

Clique aqui para ler entrevista com o diretor Marcelo Antunez

Clique aqui para ler crítica do filme

“Na prática, quem comanda é o distribuidor. Eles monitoram a concorrência, o que é essencial para determinar a melhor data de lançamento”, completou Blazic. Polícia Federal: A Lei é para Todos narra, pelo ponto de vista do delegado Ivan (Antonio Calloni) e de sua equipe da Polícia Federal, em conjunto com a força-tarefa do Ministério Público Federal, os esforços para desvendar o esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propinas a executivos da Petrobras, empreiteiras, partidos políticos e parlamentares.

Por se tratar de uma extensa operação e que ainda está ativa, o diretor e os roteiristas decidiram focar nos primeiros três anos da operação. “Como essa história muda diariamente, entendemos que precisávamos criar um recorte. Por isso, optamos por pegar do início da operação até março do ano passado, quando alguns dos eventos mais importantes da Lava Jato aconteceram, como a condução coercitiva do ex-presidente Lula e aqueles momentos que cercam esse evento, como a divulgação dos áudios entre ele e a ex-presidente Dilma”, disse Antunez.

 

 

O roteiro de Gustavo Lipstein e Thomas Stavros foi escrito a partir do livro homônimo de Carlos Graieb e Ana Maria Santos, de pesquisas nos autos da Operação e de depoimentos concedidos pelos delegados e investigadores envolvidos na Lava Jato. Esse envolvimento de parte dos personagens contribuiu para que o retrato da polícia federal nas telas fosse mais humano, afirmou o diretor. “Quando começamos a fazer as entrevistas para esse filme, vimos que esses policiais poderiam ser nossos vizinhos, assim como os investigados. São pessoas como eu e você. 

No roteiro, fomos desenvolvendo essa parceira entre eles, a irmandade dentro desse grupo e investindo em situações que demonstrassem a humanidade dessas pessoas.” “E nesse processo todo, a gente percebeu a extrema humanidade que esses delegados têm e uma tremenda vontade de acertar. Não há heróis ali, heróis ficam nas revistas em quadrinhos. São seres humanos que querem fazer seu trabalho da melhor maneira possível”, completou Calloni, que interpreta Ivan, inspirado no delegado Igor Romário, mas com elementos de outros envolvidos na investigação.

Política

“Esse não é um filme político”. Essa foi a frase mais repetida durante os dois dias em que o Diário acompanhou o lançamento de Polícia Federal: A Lei é para Todos em Curitiba. Diretor, produtor e elenco enfatizavam em qualquer oportunidade que o longa se trata de uma reprodução de fatos que já fazem parte da história do País. “O que a gente queria, além de entreter, era criar o debate”, disse o diretor Marcelo Antunez.

Talvez essa reação seja uma resposta às acusações que o longa tem recebido desde o seu anúncio de que seria parcial e chapa-branca. “Tínhamos preocupação de interpretações equivocadas do que a gente queria fazer, até que vimos que a gente tinha que ser honestos com nós mesmo, ser o mais responsável possível e contar a história, sem nenhum tipo de análise”, pondera Antunez sobre as críticas. Mas isso não quer dizer que mudanças não foram feitas para a construção do filme.

“Nada foi exatamente assim. A gente não consegue reproduzir exatamente o que aconteceu, mas, por ser um filme baseado em fatos reais, a gente tentou recolher o maior número possível de relatos das pessoas que estiveram presentes nesses momentos e confrontamos, checamos para estabelecer o que aconteceu ali. E depois disso você insere uma camada de cinema, afinal, isso não é um documentário”, explicou o diretor. “Por mais que você tente buscar essa linha tênue, ela é difícil. Teremos várias interpretações? Teremos. Que sejam discutidas calmamente”, pediu o produtor Tomislav Blazic.

Futuro

Polícia Federal: A Lei é para Todos tem a função de iniciar uma trilogia nos cinemas baseada nos fatos ocorridos na Lava Jato. O roteiro do segundo longa já está sendo trabalhado e deve acompanhar os eventos mais marcantes da operação em 2016 e 2017. A intenção é começar a gravar no início de 2018 para um lançamento ainda no ano que vem, segundo Blazic. “Agora, devemos ir até a delação da JBS”, disse sobre a história.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.