Diário da Região

03/05/2016 - 00h00min

SURTO

Vacina da gripe esgota em dez municípios

SURTO

Johnny Torres José Américo Ceron toma vacina. Em Rio Preto, campanha foi antecipada e começou no dia 11 de abri</CW>l
José Américo Ceron toma vacina. Em Rio Preto, campanha foi antecipada e começou no dia 11 de abril

No dia em que Rio Preto confirmou três novas mortes por H1N1 e a região chegou a 36 vítimas fatais da doença, dez cidades confirmaram que estão sem a vacina que imuniza contra o vírus. A quantidade disponibilizada pelo governo do Estado não foi suficiente nem para o primeiro dia da campanha nacional de vacinação contra a gripe, que ocorreu no último sábado, dia 30. As doses acabaram, ainda no sábado, em pelo menos oito cidades.

As doses acabaram, no sábado, nas cidades de Dolcinópolis, Jaci, Jales, Mirassol, Monte Aprazível, Santa Fé do Sul, Tanabi e Vitória Brasil. Dessas, apenas Jaci conseguiu pequena reposição de estoque. Nesta segunda-feira, dia 2, a vacina acabou em Bady Bassitt e Pindorama. Dessas cidades, quatro já registraram mortes pela doença em 2016: Jales (três), Mirassol (cinco), Pindorama (uma), Santa Fé do Sul (uma) e Vitória Brasil (uma). Em Santa Fé do Sul, a vacinação, com duas mil doses, foi encerrada às 13h30 de sábado. 

Ainda no período da manhã o estoque foi esgotado em dois dos três postos de vacinação. O mesmo aconteceu em Dolcinópolis. As 160 vacinas acabaram antes de meio-dia, assim como em Tanabi e Vitória Brasil. Em Mirassol, a quantidade também foi insuficiente e os pacientes que foram até as unidades durante a tarde tiveram de ser dispensados. Em Jales e Monte Aprazível, a campanha foi finalizada no início da tarde, por volta das 14h. Em Jaci, as doses não foram suficientes para o primeiro dia de campanha, mas o estoque ganhou reforço. “Tinha 400 vacinas para a campanha e consegui pedir mais, mas recebi poucas doses”, afirmou o secretário de Saúde, Frank Hulder.

Acabou hoje

A Secretaria de Saúde de Bady Bassitt conseguiu atingir 88% do público-alvo, portanto cumpriu, no geral, a meta de 80% estabelecida pelo Ministério da Saúde. Mas a vacinação atingiu apenas 50% das crianças de até 5 anos e das gestantes. “Aplicamos 4.993 doses, 1.143 só no sábado. Minha preocupação maior é com as gestantes e as crianças.

Muitos não tomaram a vacina e agora estamos sem. Todo ano sobra, mas dessa vez a população está mais preocupada”, afirmou Sandra Maria Lucatto Lobato, enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Bady Bassitt. Nesta segunda-feira, Pindorama foi outra cidade a ficar sem imunização. Pela manhã, haviam 310 frascos, que acabaram às 13 horas.

 

Arte - Cidades onde falta vacinas - 03052016 Clique na imagem para ampliar

Cidade registra mais 3 vítimas

Rio Preto confirmou nesta segunda-feira, dia 2, três novas mortes por H1N1 - uma mulher de 68 anos, um homem de 60 anos e outra mulher de 71 anos. Com as novas vítimas, a cidade passa a somar 11 vítimas fatais da doença no ano e 90 infectadas pelo vírus. Na região, o número de mortes subiu para 36.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Preto, a vítima de 68 anos começou a sentir os sintomas da doença no dia 9 de abril. A paciente, que era cardiopata e diabética, morreu no dia 22 de abril. Já o homem de 60 anos foi internado no dia 15 de abril e morreu no dia 16 de abril. A Saúde informou que ele também era cardiopata. A terceira vítima, uma mulher de 71 anos, morreu no dia 21 de abril. Diabética e hipertensa, ela foi internada no dia 13 de abril.

Vacinação

Mesmo diante desse cenário e do esforço realizado no último sábado para imunizar os rio-pretenses, a campanha ainda não atingiu a meta, após três semanas do início. No sábado, foram vacinadas 8.005 pessoas. De 11 a 30 de abril, a campanha imunizou 90.212 moradores de Rio Preto.

Esse total corresponde a 66,04% do total previsto entre os cidadãos que fazem parte dos grupos prioritários, composto de crianças até cinco anos, mulheres que tiveram filhos a até 45 dias, idosos, gestantes e trabalhadores da saúde. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é de 80% do público alvo. Atualmente a coberta está em 46,04% de crianças, 39,71% das gestantes, 100% de trabalhadores de saúde, 65,73% de puérperas e 62,56% de idosos. 

Sete secretarias pedem reposição de estoque

O Grupo Regional de Vigilância Epidemiológica (GVE) de Rio Preto, que serve de estoque e abastece 67 cidades da região, também está sem a vacina. Na tarde desta segunda-feira, sete municípios da região já haviam solicitado novas doses. Fizeram a solicitação Catanduva (12 mil vacinas), Paulo de Faria (1,2 mil), Potirendaba (1 mil), Catiguá (5 mil),Tanabi (2 mil), Orindiúva (5 mil) e Itajobi (1 mil).

O pedido não significa necessariamente que essas cidades estão sem as vacinas, mas revela pelo menos que o estoque está próximo de acabar. A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que já havia informado ao Ministério da Saúde que as doses eram insuficientes, já que o Estado recebeu apenas 78% (9.918.600 vacinas) das 12,7 milhões necessárias. O MS informou que duas novas remessas devem ser entregues até o dia 13 de maio.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso