Diário da Região

25/11/2016 - 00h00min

VELHOS GOLPES

Em 5 meses, golpistas já fizeram 54 vítimas

VELHOS GOLPES

Johnny Torres Aposentada de 84 anos perdeu R$ 15 mil ao aceitar ajuda de um rapaz solícito dentro do banco
Aposentada de 84 anos perdeu R$ 15 mil ao aceitar ajuda de um rapaz solícito dentro do banco

Os métodos utilizados para os golpes já são velhos conhecidos, mas a forma de abordagem e a malandragem dos golpistas sempre provocam novas vítimas. No segundo semestre deste ano, 54 pessoas foram vítimas de golpes em Rio Preto. Perderam, somadas, R$ 185,8 mil em crimes do tipo falso parente, da pessoa prestativa em banco, da caixa com celular estragado, da ligação premiada, do falso agente da dengue, entre outros. Os números foram obtidos em levantamento do Diário nos boletins de ocorrência registrados na Central de Flagrantes. 

Nesse fim de ano, o risco de os números aumentarem ainda mais é grande, segundo a polícia, com a chegada do 13º salário. E não são apenas os idosos que caem nos golpes. Das 54 vítimas, 25 tinham mais do que 60 anos. O restante tinha entre 18 e 59 anos. O capitão da Polícia Militar Marcelo Lessa tem explicação para esta divisão etária das vítimas. “Como os mais jovens usam mais a internet para acessar os bancos, viram presas fácies para clonagem de cartões e invasões de contas. 

As pessoas mais velhas preferem ir até as agências, onde são vítimas de malandros que fingem ser funcionários ou caem no truque da ligação do parente com o carro quebrado”, explica o capitão. Na quarta-feira, dia 23, uma aposentada de 83 anos, foi vítima do truque do parente com carro quebrado. O golpista convenceu a mulher a fazer empréstimo de R$ 13 mil e depois depositar o dinheiro, segundo a polícia. Ela não foi encontrada para dar entrevista.

Outra idosa, de 84 anos, ainda tenta se recuperar do golpe que a fez perder R$ 15 mil. “Meu cartão bancário ficou emperrado na máquina. O rapaz se ofereceu para ajudar a bloqueá-lo. Mais tarde quando minha neta foi conferir o extrato, eu descobri que ele usou minha senha para pedir R$ 15 mil em empréstimos”, diz a aposentada, que diz não ter sido a única vítima naquele dia. Entre as artimanhas usadas pelos bandidos estão a mudança do tom de voz, em ligações, e o modo de se vestir - sempre bem alinhado.

Falsos prêmios

Um estudante de 19 anos foi vítima do golpe da promessa de ganhar R$ 10 mil de operadora de telefonia e perdeu R$ 1 mil, que depositou em uma conta bancária. “Nunca pensei que alguém da minha idade pudesse ser enganado”, diz o jovem. O tradicional golpe do bilhete continua sendo aplicado em Rio Preto. Em junho deste ano, uma aposentada de 84 anos, caiu na lábia de duas estelionatárias. Quando a trama foi descoberta, as golpistas fugiram com a aposentada no carro e passaram pelo meio do Calçadão. No trajeto, atropelaram e mataram o aposentado Lázaro Fermino dos Santos, 69 anos.

 

Arte - Os tipos de golpes - 25112016 clique na imagem para ampliar

Golpistas aproveitam solidão

O psicólogo Felipe Pereira afirma que o fato das famílias estarem deixando os idosos muito tempo sozinhos em casa, os tornam vítimas fáceis para todo tipo de estelionatários. Segundo ele, os golpistas aproveitam da carência afetiva e da solidão das pessoas mais velhas para usar da emoção e se passar por parentes das vítimas. “Infelizmente, as pessoas nem sempre visitam os avós e tios. As pessoas ficam muito tempo sem se ver ou falar. E os criminosos sabem disto e dão um jeito de se aproximar e enganar.

Sabemos que no momento de uma ligação ou abordagem para efetuar o golpe, os criminosos nem dão tempo para a pessoa racionar direito”. Para Pereira os parentes precisam se reaproximar mais dos idosos da família para visitar e conversar. “É preciso ter aquela conversa para explicar para os avós, os tios, ou mesmo os pais, que moram sozinhos, que não podem acreditar em tudo que ouvem pelo telefone. Tem de incentivá-los a agir com mais precaução. Senão fica fácil para enganação dos bandidos”, recomenda o psicólogo.

O historiador José Pedro Toniosso afirma que a aplicação de golpes sempre existiu ao longo da trajetória da humanidade. Os criminosos apenas adaptam as mentiras aos costumes e à época para continuar enganando as pessoas. “Antigamente ganhavam fortunas vendendo elixir da juventude e até falsas relíquias de santos, porque era o que as pessoas queriam no passado. Agora, como estamos em crise, os golpistas oferecem vantagens financeiras como prêmios. Como as pessoas estão sem dinheiro, acreditam facilmente em qualquer coisa”, diz o professor.

Festas e 13º elevam assédio dos golpistas

Com a chegada do 13º salário, a Polícia Militar alerta para o aumento das ações de ladrões e golpistas. É que nessa época do ano, além da maior quantidade de dinheiro circulando, as pessoas estão mais “desatentas”, segundo o porta-voz da PM, capitão Marcelo Lessa. Mesmo com as diversas campanhas e reportagens alertando contra os golpes, ele aconselha conversar com os idosos e orientá-los, principalmente aqueles que ficam sozinhos em casa.

“É preciso falar para o pai e para a mãe desligar imediatamente o telefone sempre que alguém ligar falando de sequestro ou dizendo que é parente com carro quebrado. Após isso, tentar entrar em contato com o parente para saber se é verdade, se ele está precisando de ajuda. Em 99% das vezes, essa estratégia dá certo e o golpista para de ligar”, aconselha o militar. Com relação às fraudes em caixas eletrônicos, a polícia recomenda que as pessoas frequentem as agências em horário comercial, quando há mais chance de contar com ajuda dos verdadeiros funcionários das agências.

“Quando for à noite ou nos feriados, quando as agências estão fechadas, nunca aceite ajuda de estranhos que se oferecem para auxiliar no caixa eletrônico. Desconfie. Eles vêm com boa vontade, mas estão de olho no dinheiro. É o truque mais usado pelas quadrilhas, fingir ser simpático para depois roubar a senha”, comenta o policial. Lessa afirma que a PM vai colocar todo o efetivo nas ruas na próxima semana para dar mais segurança a quem for receber o 13º e fazer as compras, mas diz que cabe às pessoas se precaver contra golpistas, agindo com mais cautela e desconfiança.

Assaltos

Além do risco maior de golpes, a chegada do 13º faz aumentar o número de assaltos também. Para dar mais segurança ao público, o comandante do 17º batalhão da PM, coronel Paulo Pagotto Júnior, afirma que vai redirecionar o efetivo para reforçar o patrulhamento no Calçadão e nas lojas ao longo das avenidas Mirassolândia, Danilo Galeazzi e na Vila Toninho. “Cortamos todas as folgas, suspendemos férias e pegamos o pessoal do setor administrativo e novos soldados para colocar mais gente no policiamento”, diz o coronel.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso