Diário da Região

29/03/2015 - 02h10min

Encantador de pássaros

Roberto conquistou os passarinhos da paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração

Encantador de pássaros

Sergio Isso Além de dar nomes e alimento às três rolinhas, Roberto também conversa com elas
Além de dar nomes e alimento às três rolinhas, Roberto também conversa com elas

Com um pouco de arroz cru na palma da mão, Roberto estica o braço e diz: "Vem cá, vem aqui comer." Usa o outro braço para afastar as pombas que o cercam. O chamado não é para elas, é para o pequeno, como ele diz. A rolinha pula para um lado, para outro, vai e volta, até que sobe na mão dele e se alimenta. Minutos depois, outra rolinha chega e nem faz cerimônia: vai direto para mão do homem. A situação é comum na vida de Roberto Rubens Correa Leite, 63 anos. Todos os dias, há seis meses, recebe a visita dos pássaros. São três rolinhas, Vermelho, Cotuba e Pezinho. "Eles vêm de manhã e à tarde. Em alguns dias, quatro vezes", diz sentado em uma cadeira de plástico, em frente à paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração, na Redentora.

Isso mesmo, Roberto deu nome a cada um deles. Cotuba, que ele diz ser fêmea, é a mais próxima. "É a mais sem-vergonha. Chega a dormir na minha mão." O nome foi dado devido ao tamanho do pássaro. Roberto diz que o faz lembrar da versão pequena do refrigerante. Outro pássaro é o Vermelho, porque tem algumas penas avermelhadas. O último é o Pezinho. É que o pássaro tem o pé um pouco para dentro em decorrência de uma linha enroscada.

Nos bolsos, ele sempre tem um punhado de arroz. Pega um pouco na mão e chama os pássaros até se achegarem. Também coloca laranja nos galhos de árvores. Mas não é tão simples atraí-los nem fazer o flagra do momento. Descem para comer os alimentos oferecidos sempre em horários diferentes. O homem não está ali por acaso. É contratado da paróquia para cuidar do acesso a uma pequena rua em frente à igreja, utilizada como estacionamento. Controla os carros que podem ou não parar. Abre e fecha correntes o dia todo. Chega por volta das 6 horas e vai embora às 16 horas. Exerce a função há três anos.

Por passar tanto tempo sentado ali, notou que a presença dos pássaros era grande. Começou a chamar alguns deles. "Na primeira vez, um deles vinha e voltava, vinha e voltava. Até que pegou confiança. Hoje em dia, comem na minha mão, ficam na minha cabeça e no joelho. Às vezes até assusto porque vêm direto no meu ombro." A cena chama a atenção de quem vai à missa ou passa por perto. Não é raro alguém pegar o celular para tirar fotos ou filmar. "Muita gente pergunta o que eu faço, mas não tem segredo. Toda criação é assim: se você dá carinho e atenção, eles voltam. Ficam igual criança. Converso, falo, pergunto. Não sei se eles entendem, mas, pelo menos, atendem quando eu chamo pelo nome."

Além das três rolinhas, Roberto também atrai outros pássaros. Colocou nas árvores um bebedouro e, com frequência, aparece algum beija-flor para se refrescar. E não é água que o passarinho encontra. O líquido que abastece o recipiente é groselha. O bebedouro também atrai um melro. "Quando ele vem, os outros somem porque têm medo." Ele garante que não alimenta as pombas.

 

roberto encantador de passarinho Alma boa, sensibilidade à natureza, Roberto revela o mistério: “Muita gente pergunta o que eu faço, mas não tem segredo. Toda criação é assim. Se você dá carinho e atenção, eles voltam. Ficam igual criança”

Antes, ele vendia sabão

Os pássaros não os únicos animais que Roberto gosta. Diz que ama todos os tipos de bicho. "Falou que é criação, eu gosto. Meu sonho era ter um canil em casa para cuidar de muitos. Mas é só sonho. Hoje em dia não tenho mais nenhum. O que tinha morreu e decidi não ter mais, porque a gente se apega e depois sofre com a falta deles."

Roberto mora sozinho na Boa Vista. Vai e volta a pé do trabalho, todos os dias. Antes de aceitar o emprego na igreja era conhecido pela produção de sabão. Vendia no Centro. Teve bancas próximo ao Mercado Municipal, na praça Cívica, no Calçadão, entre outros pontos. São quase 30 anos de tradição.

Mesmo sem produzir as barras há algum tempo, ainda recebe pedidos de gente que o encontra na Redentora. "Além de usar normalmente, muitos usam para lavar os cachorros, pois dizem que é bom para tirar sarna. Meu desejo é voltar a fazer sabão em breve.

 

Vídeo abaixo mostra toda a intimidade de Roberto com os pássaros

 

VIDEO DO YOUTUBE
O encantador de pássaros

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso