Diário da Região

11/05/2016 - 00h00min

BRECHÓ CHIQUE

Bazares de grife vão ajudar entidades filantrópicas rio-pretenses

BRECHÓ CHIQUE

Guilherme Baffi Cidinha Cury Antônio mostra casaco de grife que está sendo doado para evento
Cidinha Cury Antônio mostra casaco de grife que está sendo doado para evento

Aquele brechó antigo, que se via nas paróquias, com roupas e outras peças já um tanto desgastadas e preços irrisórios está dando lugar a um novo formato, também revertido para o bem de instituições, mas com produtos mais valiosos e voltado para um público nada carente. Nos próximos dias, os rio-pretenses poderão ver e comprar roupas e acessórios de marcas, incluindo grifes mundialmente famosas, em eventos de luxo que serão promovidos na cidade. O movimento não é novo no Exterior, mas agora ganha espaços em Rio Preto.

Ser Chic é Ser Solidário e o 1º Brechic são eventos promovidos pela comunidade, em que os recursos angariados serão revertidos para o Asilo de Schmitt e para a Apae, respectivamente. Pessoas da sociedade estão sendo convidadas para doar roupas e acessórios que serão depois colocados à venda. Etiquetas Dior, Chanel, Dolce & Gabbana, Valentino, entre outras, vão se misturar a marcas menos sofisticadas, mas também de alta qualidade e com preços bem amigáveis.

“Convidei 20 mulheres da alta sociedade que vão doar um look de seus closets. São pessoas famosas, vips, que se vestem de forma especial. As roupas serão colocadas à venda em um evento para 600 convidados. Eles darão peças para montar um brechó de luxo na galeria da Alameda Muffato”, diz o colunista social Dil Grande, organizador do Ser chic. Ele conta que, entre outras peças, há um vestido de grife que custa 3 mil dólares e será vendido por R$ 800, que poderá ser dividido em até quatro vezes. “Vamos colocar à venda um look da Dolce & Gabbana que é vendido por 4 mil euros”, afirma.

A ideia, segundo Dil, é fazer a ponte para pessoas que querem ajudar entidades de Rio Preto, mas não têm tempo. “São 20 mulheres participando com a doação das roupas. Quando eu as convidei, elas aceitaram na hora”, conta. É o caso de Cidinha Cury Antonio. Além de aceitar o convite, ela também chamou amigas para aderir ao projeto. Agora, está convidando outras para que participem do café da manhã e levem roupas e acessórios de qualidade diferenciados para o brechó.

“Eu sou muito radical. Não me envolvo em qualquer campanha. O dinheiro arrecadado vai para o asilo, e isso pesou na minha decisão. Os velhinhos que moram lá não têm família ou foram deixados. São pessoas indefesas e que precisam de nossa ajuda”, afirma. Dil está organizando um café da manhã, para o sábado, dia 21 de maio, para 600 convidados. A participação é gratuita, mas cada pessoa deve levar uma peça de roupa de seu guarda-roupa para montar o brechó. Elas ficarão à venda de 21 de maio a 21 de junho, na mini-galeria Alameda Muffato, e serão divulgadas por oito blogueiras de moda de Rio Preto.

“Elas (blogueiras) vão criar looks, fazer sugestões e mostrar as peças como forma de também promover as vendas. Do dinheiro arrecadado, 90% vão para o Asilo de Schmitt e 10% para a Igreja Evangélica Cumprir, da qual eu sou congregado”, diz. Os convites para o evento estão sendo entregues. Cada um deles vêm com um cabide que é para que os participantes levem suas peças de roupas, que não precisam ser de grife e, sim, de qualidade.

1º Brechic

Com menos glamour, mas dentro do conceito de fazer a ponte entre quem quer doar e fazer o bem e quem quer comprar roupas seminovas por preços muito atrativos, Rosali Gallo y Sanches está arrecadando peças para o 1º Brechic, cuja renda vai para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). “Muitas pessoas têm roupas que usaram uma vez e que ficam guardadas nos armários. Elas não querem vender em um brechó por valores tão baixos como os que são pagos. Preferem, e se sentem bem, ao ajudar quem precisa doando essas peças. Foi assim que nasceu a ideia de fazer o brechó chique”, conta.

Ela primeiro procurou a direção da Apae e propôs promover o evento. “Nós ficamos muito gratos sempre com a ajuda da comunidade de Rio Preto, que é fundamental para manter nosso atendimento diferenciado”, disse o presidente da associação, Chafic Balura. Proposta aceita, Rosali procurou o jornalista José Carlos Pontes, que já foi dono de um brechó infantil, e o fotógrafo Jorge Etecheber, que fará a cobertura do evento. “O José Carlos é responsável pela separação e está catalogando e colocando os preços nas peças. Um desfile de moda e o brechó vão ser no estúdio de Etecheber”, diz.

Rosali conta que já conseguiram doações que ocuparam três malas grandes de roupas. Mas espera um incremento com a recente adesão do Rotary, que está divulgando em todos os distritos para que mais pessoas colaborem com o projeto. “Já ganhamos vestidos de festa, botas, calças, sapatos de salto alto e é tudo com cara de loja, com aspecto de novo”, diz. A abertura do Brechic será no dia 23 de maio, segunda-feira, às 20h, com desfile de moda de peças que estarão à venda. As modelos serão funcionárias da Apae e mães de alunos da entidade. 

Até o dia 26 de maio, o brechó ficará aberto das 10h às 22h para as vendas. Quem quiser doar, basta entregar suas peças no Jorge Etecheber Stúdio Fotográfico, sede do Brechic. O endereço é rua Silva Jardim, 4.053, Santa Cruz. “Gostaria de frisar que apesar de ser um brechó de luxo, vamos oferecer produtos com preços acessíveis e interessantes para todos os públicos. Não vai ser elitizado”, reforça a organizadora.

‘Loja’ estimula desapego

A Loja do Bem deu um up nos brechós de entidades de Rio Preto. Até o próximo dia 29 de maio, tudo que for doado lá vai para o Instituto Riopretense dos Cegos Trabalhadores. A primeira a ser beneficiada, quando o projeto foi lançado pelo Shopping Iguatemi, foi a AACD com cerca de 1,7 mil itens arrecadados e, logo na sequência, a Amicc (Associação dos Amigos da Criança com Câncer e Cardiopatas).

Diferentemente de uma loja tradicional, cheia de produtos para a venda, a Loja do Bem começa com prateleiras vazias e prontas para ser ocupadas com doações. As pessoas podem doar roupas, acessórios, itens de higiene pessoal e de decoração, louças, cobertores e brinquedos. “Recebemos muitas roupas, artigos de decoração, brinquedos, acessórios e calçados.

Como ocupamos a loja no período de 10 de março a 10 de abril ganhamos também muitos ovos de Páscoa, que ajudaram a presentear nossas crianças na festinha que fizemos no dia 22 de março”, diz a coordenadora da Amicc, Camila Brandani. Ela diz que apesar de as doações que a entidade recebe sempre ser de qualidade, parte das que foram feitas no Iguatemi tinha o diferencial de ser de marcas famosas. “No total, recebemos 1.746 itens entre roupas, sapatos, brinquedos, livros, decoração, calçados, bolsas, bijuterias, cintos e diversos”, diz.

Nem todos os itens já foram vendidos, por isso não há o valor que a entidade conseguiu arrecadar. “Foi muito interessante e beneficiou a Amicc, mas as pessoas podem continuar doando porque sempre precisamos”, afirma. As doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Já para quem quer comprar, o brechó da Amicc fica aberto durante a semana, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h. Lá a pessoa encontra produtos a partir de R$ 0,50 e até R$ 500. “Temos computadores, cama de solteiro da Mazoti, brinquedos mais simples, roupas; o brechó é bem diversificado”, conclui Camila.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso