Diário da Região

30/05/2015 - 00h00min

Baleado

Briga no trânsito e uma bala no ombro

Baleado

Sergio Isso Bruno Ricardo Borges de Castro com o raio-X que mostra a bala alojada em seu ombro
Bruno Ricardo Borges de Castro com o raio-X que mostra a bala alojada em seu ombro

Baleado por um policial militar durante uma discussão de trânsito, o funcionário público Bruno Ricardo Borges de Castro, de 44 anos, está com uma bala alojada no ombro esquerdo. Os médicos ainda não concluíram se realizam, ou não, cirurgia para retirada do projétil. Após a agressão, ocorrida anteontem, ele foi socorrido até a Santa Casa. A equipe médica avaliou que o ferimento causado pela munição, de um revólver calibre 38, não apresenta risco à vida dele, mas a remoção da bala pode deixar sequelas. Agora, Castro deverá consultar um ortopedista para uma avaliação mais precisa.

Esse é apenas um exemplo de como o estresse no trânsito pode passar dos limites e avançar para a violência. Com uma frota de 353,3 mil veículos, esse tipo de briga tende a se tornar cada vez mais comum em Rio Preto. Dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) mostram que entre 13% e 17% dos motoristas brasileiros têm algum distúrbio comportamental no trânsito. O estresse, segundo o estudo, é um fator que potencializa as atitudes de desrespeito.

 

Bruno Ricardo Borges de Castro carro batido Bruno Ricardo Borges de Castro ao lado de seu carro, que foi atingido pela caminhonete do policial

O tiro

Castro levou um tiro no ombro disparado pelo sargento aposentado da Polícia Militar Fernando Barbosa Miranda, 52 anos, na rua Luiz Vaz de Camões, bairro Redentora. Segundo o boletim de ocorrência, a discussão entre os dois teria começado depois que a porta da caminhonete do policial aposentado, uma D20, bateu no carro do funcionário público, um Toyota Corolla. Na versão de Miranda, após a batida, ele teria descido da caminhonete para conversar com Bruno e dizer que pagaria o conserto, mas Bruno teria se exaltado e iniciado agressões, que resultaram em ferimentos no rosto, boca, olhos e abdômen do PM aposentado.

O funcionário público, contestou a versão de Miranda. Ele afirma que encostou o seu carro, desceu e foi conversar com o sargento aposentado. A primeira agressão física teria partido de Miranda. “Eu fiquei nervoso, sim, mas não desferi nenhum um palavrão para ele. Só queria resolver a situação, ver a forma como seria ressarcido. Ele se exaltou, deu um soco no meu olho e outro na minha boca. Revidei com um soco no nariz dele. Pessoas que presenciaram, nos separaram. Eu encostei no meu carro. Ele foi até a caminhonete, pegou a arma e atirou. Quando eu o vi apontando, ergui o braço.”

Procurado ontem, no período da manhã e da tarde, na casa onde mora, o policial aposentado não foi encontrado para falar sobre o assunto. Ele também não atendeu as ligações. O CPI-5 informou que ele estava internado em observação, mas não disse em qual unidade hospitalar. Na declaração à Polícia Civil, Miranda disse que após conseguir se desvencilhar da briga e se afastar, o funcionário público teria avançado em sua direção, que, então, teria sacado o revólver que estava em sua cintura e atirado.

A arma de Miranda foi apreendida e encaminhada para perícia. O delegado Hélio Fernandes dos Reis apurou que o policial aposentado portava arma legalmente. Em nota, o CPI-5 confirmou o porte legal da arma. “Destaca-se o que foi alegado pelo PM, isto é, que efetuou tão somente um disparo para cessar a agressão que estava sofrendo”, afirmou o capitão Rafael Henrique Helena.

 

motoristas opiniao estresse Clique na imagem para ampliar

Controle-se no trânsito

Que o estresse faz mal a saúde, não há dúvidas. Mas ele pode ser ainda mais perigoso, já que também contribui para trazer mais riscos à vida das pessoas que não controlam as emoções no trânsito. A disputa pelo espaço no asfalto causa discussões que podem provocar acidentes graves e até mesmo incitar crimes como agressões físicas e assassinatos.

Quem trafega pelas ruas e avenidas de Rio Preto convive diariamente com o humor exaltado dos outros motoristas e precisa tentar controlar os sentimentos. Aos 34 anos de vida profissional, a psicóloga Kátia Ricardi de Abreu ouviu relatos de pessoas que se descontrolam emocionalmente quando estavam dirigindo ou se envolveram em discussões no trânsito. “Em um dos casos, o paciente me relatou que só dirigia de tênis, porque quando algo o irritava, ele estacionava, fechava o carro e saía literalmente correndo, até se acalmar. Ele já tinha se envolvido com algumas discussões no trânsito e não queria mais que isso acontecesse. Foi a forma que ele encontrou de evitar conflitos.”

O motorista profissional Márcio Raimundo, 24 anos, passa grande parte do dia no trânsito e afirma que as situações de agressividade se repetem sucessivamente. “Ocorre todo momento, principalmente em lugares com grande fluxo de veículos. Muita imprudência e por qualquer coisa estão buzinando e xingando. Tratam o outro como animal. ”

A vendedora Queliane Maria Miranda, 30 anos, diz que frequentemente nota a impaciência de motoristas. “O respeito às leis de trânsito não existe. Os motoristas não respeitam a sinalização, avançam sinal de pare, entram ser dar seta. Isso reflete no respeito ao outro. A situação está horrível”.

A psicóloga Kátia explica que ao dirigir, a pessoa usa o racional. “Quando a parte lógica se contamina com o emocional, podem surgir problemas. A pessoa pode usar o veículo que conduz como válvula de escape para o estresse, sim, mas o que acontece muito é o estilo esperto, que quer tirar a mínima vantagem sem pensar no outro.” 

 

arte_controleestressetransito Clique na imagem para ampliar

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.