Diário da Região

19/09/2015 - 00h00min

PARA FUGIR DA GUERRA

Juiz de Rio Preto pede repatriação de criança

PARA FUGIR DA GUERRA

Johnny Torres Sanaa (tia) e Jamilla (avó) mostram foto de Yakoub em tablet
Sanaa (tia) e Jamilla (avó) mostram foto de Yakoub em tablet

O juiz da Infância e Juventude de Rio Preto, Evandro Pelarin, determinou que o Ministério das Relações Exteriores emita um passaporte em caráter de urgência para o menino brasileiro Yakoub Obaied, de 2 anos. Ele está no Líbano na companhia dos pais, e o objetivo é chegar até Rio Preto. A criança nasceu em Rio Preto, filho de Chain Obaiad e Rania Alsahhoum. Eles moravam no Brasil e foram à Síria, mas não conseguem retornar por causa da guerra.

O pedido à Vara da Infância e Juventude de Rio Preto partiu da tia do menino Yakcoub, Sanaa Obid. De acordo com o juiz Evandro Pelarin, que recebeu o pedido, a tia alegou que por causa da guerra no país de origem, os pais do garoto, que são sírios, estão com dificuldades de conseguir o passaporte da criança.

“Ela relatou que os pais da criança não conseguem pegar o passaporte do menino, pois as autoridades alegam que a criança não pode deixar o país pois precisa frequentar a escola onde está matriculado. Como a situação lá está muito crítica, dei meu parecer favorável à emissão do passaporte, uma vez que ele ainda é muito novo e pode cursar a escola aqui no Brasil”, disse o juiz.

Ele conta que após o parecer favorável à emissão do passaporte, encaminhou o processo para a promotoria e de lá a autorização judicial foi enviada para o Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty). Agora cabe ao ministério entrar em contato com a embaixada do Líbano para a emissão do passaporte. “Acredito que em 10 dias esse problema esteja resolvido e a família consiga vir ao Brasil”, explicou.

O juiz também contou que a família conseguiu sair da Síria e chegar ao Líbano para que possam embarcar para o Brasil após muitas dificuldades. “Eles têm parentes aqui. Os pais da criança vão trabalhar no restaurante dos parentes. Não há motivo para negar a vinda deles para cá”, afirmou o juiz.

De acordo com a tia da criança, que mora no Brasil há 14 anos, a situação na Síria está muito complicada e por isso ela está trazendo os parentes para o Brasil.

“Lá eles estão passando muitas dificuldades por causa da guerra. Neste ano trouxemos 11 parentes e agora vamos trazer mais três. Infelizmente não tem como viver na Síria do jeito que está atualmente”, afirmou a empresária Sanaa Obid.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.