Diário da Região

19/09/2015 - 00h00min

Alfabetização

Bem na escrita e na leitura e quase lá na matemática

Alfabetização

Hamilton Pavam Ana Laura, Lara e Ana Luiza na biblioteca da escola municipal Antônio Espada Filho, no Parque da Liberdade
Ana Laura, Lara e Ana Luiza na biblioteca da escola municipal Antônio Espada Filho, no Parque da Liberdade

A qualidade da alfabetização em Rio Preto está melhor do que a média brasileira e acima da média estadual. Para tirar nota dez no quesito aprendizagem, o município precisa melhorar apenas em matemática. É o que revela a Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) de 2014, divulgada anteontem pelo Ministério da Educação (MEC). A prova, aplicada aos alunos do 3º ano do ensino fundamental, avaliou leitura, escrita e matemática. As notas foram divididas em níveis.

Em Rio Preto, apenas 8,82% estão no nível “1” em leitura, considerado inadequado pelo MEC. No Estado, 10,77% estão na situação e no Brasil, 22%. Nesse nível, os estudantes não são capazes, por exemplo, de localizar informações explícitas em um texto ou reconhecer a finalidade de textos em convites ou cartazes.

Na escrita, os estudantes rio-pretenses também foram bem. Um percentual de 13,03% estão nos níveis 1 e 2, classificado como baixos. O percentual é de 13,12% no Estado e 35% no Brasil. O MEC considera como inadequado crianças que não conseguem escrever palavras, formar frases ou não produzem textos legíveis.

 

arte_avaliacaoalfabetizacao Clique na imagem para ampliar

Já em matemática, estão fora da faixa considerada satisfatória alunos que não conseguem resolver problemas como números naturais maiores do que 20 ou simplesmente não conseguem ver as horas em relógios analógicos.

Foi justamente em matemática que Rio Preto teve o pior desempenho, seguindo o que foi observado no País. Três em cada dez crianças rio-pretenses (29,56%) estão nos níveis 1 e 2, considerados inadequados. Ainda assim, o município está acima das notas do Brasil, que tem 57% analfabetos nessa área, e do Estado, com 35,13% nos níveis inadequados.

Mesmo com a matemática sendo a nota mais baixa, no comparativo com a avaliação anterior, o município foi melhor, já que o percentual em 2013 foi de 24,6% nos níveis inadequados. A ANA foi lançada em 2012 pelo governo federal. As notas de 2013 também foram divulgas apenas anteontem. A edição deste ano foi cancelada por falta de verba.

Nível de excelência

Aluna da escola municipal Antônio Espada Filho, no Parque da Liberdade, Ana Luiza Santos Félix, 10 anos, é uma das responsáveis pelo bom desempenho de Rio Preto na avaliação. Ela foi uma das que prestou a prova. “Achei fácil. Sabia tudo”, disse.

Fã de livros, a menina ganhou ainda mais incentivo na escola. Todos os dias os professores iniciam as aulas com a leitura de um texto. Uma vez por semana os alunos são incentivados a pegar um livro na biblioteca. “Não gosto tanto de ler, mas estou me esforçando”, disse Ana Laura dos Santos Felix, 8 anos, irmã de Ana Luiza, também aluna da escola.

“Fazemos eles gostarem e criarem o hábito da leitura desde os 4 anos. Em matemática, trabalhamos com problemas e jogos, sempre incentivando”, afirmou Vanessa Cristina Pavezi, diretora da escola.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.