Diário da Região

30/04/2016 - 09h53min

EM FAMÍLIA

Filhas planejaram roubo ao pai usando Whatsapp

EM FAMÍLIA

Alexandre Souza/Folha da Região Conversas pelo Whatsapp fazem parte do inquérito; uma das filhas criou grupo para tramar o crime (Alexandre Souza/Folha da Região)
Conversas pelo Whatsapp fazem parte do inquérito; uma das filhas criou grupo para tramar o crime (Alexandre Souza/Folha da Região)

O assalto à residência de um empresário de Guararapes (a 31 km de Araçatuba), ocorrido na noite de 27 de março deste ano, foi planejado por duas de suas filhas, de 21 e 17 anos. Elas contrataram a quadrilha e planejaram dividir o dinheiro roubado. Ambas confessaram o crime e devem ter as prisões pedidas à Justiça. 

A mais velha, além de ordenar o crime, teria mandado os assaltantes agredirem o próprio pai e presenciou toda a ação, que foi planejada por meio de um grupo criado por ela no Whatsapp. A mais nova teria participado de todas as reuniões com os bandidos. Apesar do planejamento, elas não ficaram com nada do que foi roubado, pois acabaram sendo enganadas pela quadrilha. 

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (29) durante entrevista coletiva com a participação do seccional Mauro Gabriel e o delegado responsável pelas investigações, Alessander Lopes Dias. A quadrilha envolvida no crime foi presa no último dia 21. As armas e bijuterias foram recuperadas. 

O planejamento durou cerca de um mês e meio. Foram levados cerca de R$ 40 mil em joias, R$ 15,5 mil em dinheiro, R$ 3 mil em moedas, três armas e bijuterias. Foram recuperadas apenas as armas e as bijuterias. O revólver utilizado no crime não foi localizado. 

Cinco pessoas foram presas durante as investigações. Duas tiveram participação direta no assalto. As outras quatro foram detidas por receptação. 

crime_araçatuba Assaltantes tiveram acesso até a planta do interior da residência, fornecida pela filha mais velha de 21 anos. (Alexandre Souza/Folha da Região)


As filhas argumentaram que o pai havia ficado com muito dinheiro delas: cerca de R$ 200 mil, que haviam sido deixados pelos avós. A mais velha administrava o grupo no Whatsapp e, com a ajuda de um amigo, convidou pessoas com passagem pela polícia para cometer o crime. Pelo aplicativo, ela fornecia detalhes da movimentação da casa, enviando, inclusive, fotos do interior do imóvel. 

A polícia chegou até elas por causa do fundo falso de um armário da casa, que os bandidos tiveram acesso. No local estavam as joias e as armas que foram roubadas. "Só a família sabia. Daí a desconfiança de que alguém da família estaria envolvido no crime", afirmou Dias. 

Cinco pessoas já foram presas. O pai negou que tivesse ficado com dinheiro das filhas, como elas argumentaram, mas admitiu que a relação com elas seria "tumultuada".

                                                                                                        (Colaborou José Marcos Taveira)

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso