Diário da Região

26/08/2015 - 09h14min

Susto

Sucuri com aproximadamente seis metros é capturada em Novo Horizonte

Susto

Kall Rigamonti / Amizade FM A sucuri foi levada à Polícia Ambiental, que a soltou às margens do rio Tietê (Foto: Kall Rigamonti / Amizade FM)
A sucuri foi levada à Polícia Ambiental, que a soltou às margens do rio Tietê (Foto: Kall Rigamonti / Amizade FM)

O proprietário de um sítio em Novo Horizonte levou um susto na terça-feira, dia 25, ao se deparar com uma cobra sucuri. O réptil, de aproximadamente 6 metros de comprimento e 64 centímetros de diâmetro, foi capturado pelo dono da propriedade rural, que é veterinário. 

De acordo com a Polícia Ambiental, a cobra foi localizada no momento em que o dono do sítio e funcionários limpavam a represa do local com uma retroescavadeira. A sucuri apareceu entre as plantas quando eles ergueram a pá da máquina. 

Por ser veterinário, o dono do sítio sabia qual a forma correta para imobilizar o réptil, que foi levada em uma caminhonete até a Polícia Ambiental. Em seguida, a sucuri foi solta às margens do rio Tietê, numa reserva florestal da cidade.

A Polícia Ambiental acredita que devido ao tamanho e diâmetro da cobra, ela tenha mais de 20 anos. Há ainda a possibilidade de haver outra cobra na represa, já que muitos bezerros do sitio apareceram mortos.

O resgate deste tipo de animal só deve ser feito por profissionais, como veterinários, Policia Ambiental ou Corpo de Bombeiros.

A sucuri não é venenosa e mata por asfixia, ao se enrolar no corpo da presa. "Não convém se arriscar. Ela não é venenosa, mas tem uma boa presença em sua dentição. É uma cobra forte, pode matar por constrição e engolir até uma criança", ressalta o zoólogo Dino Vizotto. 

De acordo com o zoólogo, a incidência de sucuris na região é comum. Um córrego, lago ou represa de água limpa, um sítio cercado de verde, são habitats naturais do réptil. “As cobras saem de rios a procura de alimentação e se encontram criações de animais em propriedades rurais como marrecos, porcos, galinhas e patos, acabam fazendo do local sua morada.”

Avô salva neto
Em 2007, o avô de um menino de oito anos – à época, Joaquim Pereira, virou herói em Cosmorama após salvar o neto de uma sucuri de cinco metros e 35 quilos. O garoto foi atacado pela cobra quando brincava com outras três crianças na margem de um córrego do sítio do avô. A criança foi imobilizada pela serpente por cerca de 40 minutos. Mateus mora em São Paulo e passa férias no sítio do avô, que foi visado pelos amigos do neto. Pereira brigou com a cobra, usando as mãos, os pés, pedras e pedaços de madeira que encontrou pela área.

A seguir mais fotos:

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso