Diário da Região

27/07/2016 - 00h00min

IMUNIZAÇÃO

Vacina contra a dengue chega em agosto e é cara

IMUNIZAÇÃO

Guilherme Baffi 26/7/2016 O garoto Miguel Torres dos Santos, sua avó Marli e a tia Suzana Rodrigues: os três tiveram dengue; a família achou a vacina cara.
O garoto Miguel Torres dos Santos, sua avó Marli e a tia Suzana Rodrigues: os três tiveram dengue; a família achou a vacina cara.

Com custo elevado, a vacina contra dengue desenvolvida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur chega em Rio Preto na primeira quinzena de agosto e será vendida na rede particular. O início das vendas e o número de doses serão definidos na semana que vem, em reunião entre a diretoria da Unimed e a Sanofi Pasteur.

A Anvisa divulgou os valores nesta terça-feira, 26: cada dose vai ser vendida com preço de custo entre R$ 132,76 e R$ 138,53, de acordo com as alíquotas de imposto de cada Estado. São necessárias três doses para imunização.

Ou seja, o cliente terá de desembolsar no mínimo R$ 398,19 se comprar a preço de custo. O valor será maior devido aos custos da sala de vacina.

Em Rio Preto, a Unimed fez o pedido ao laboratório, mas o valor será definido na semana que vem, após a reunião com a Sanofi Pasteur. “Por ora, só sabemos que vai ter a reunião e que a chegada das doses deve acontecer na primeira quinzena de agosto”, informou a assessoria de imprensa da Unimed Rio Preto.

A vacina, chamada Dengvaxia, é a primeira contra a dengue a ser aplicada no Brasil. O laboratório garante proteção de 93% contra casos graves da doença, redução de 80% das internações e eficácia global de 66% contra os quatro tipos de vírus da dengue.

vacina 27072016

Os testes na Ásia apontaram proteção durante três anos, mas o laboratório pretende fazer com que a vacina dure 10 anos. Para imunização, são necessárias três doses, aplicadas com um intervalo de seis meses entre elas.

A venda foi aprovada pelos rio-pretenses. Em Rio Preto, neste ano, são 15.735 casos confirmados e duas mortes pela doença. Mas o alto custo foi criticado.

Na casa de Poliana Rodrigues dos Santos, 26, moradora do bairro São Deocleciano, apenas o pai dela não ficou doente. Ela, a irmã Suzana e a mãe Marli pegaram dengue neste ano. “Tive muita dor nos olhos, dor de cabeça e manchas pelo corpo. A vacina está muito cara. Acho que compensa pagar pelo jeito que fiquei quando tive dengue. Mas esse valor é absurdo e comprometeria o orçamento da família”, disse. Só na casa dela, seriam necessários R$ 1,5 mil em vacinas para imunizar os quatro moradores.

Valor

O valor da vacina foi definido pela Anvisa após análise da proposta feita pelo laboratório, baseado nos custos para desenvolvimento do produto. Essa análise atrasou em três meses a chegada das doses, que deveria acontecer em maio.

De acordo com a Anvisa, o trabalho dos técnicos foi mais complexo, já que precisaram levantar todos os custos do fabricante e ainda levar em conta a realidade da população brasileira. Após essa etapa, o valor foi encaminhado para a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed), órgão da Anvisa que define o valor máximo do produto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso