Diário da Região

05/07/2016 - 00h00min

EU NO MUNDO

Conheça o rio-pretense que comanda um Boeing 747 e vive em Dubai

EU NO MUNDO

Arquivo Pessoal O piloto Ednei Batista Romano com a mulher, Nayana, e as filhas Gabriela (5 anos) e Ana Luísa (10 anos) durante visita a familiares em Rio Preto.
O piloto Ednei Batista Romano com a mulher, Nayana, e as filhas Gabriela (5 anos) e Ana Luísa (10 anos) durante visita a familiares em Rio Preto.

Ednei Batista Romano nasceu na Vila Formosa, bairro da zona leste de São Paulo, e ainda bebê mudou-se com a família para Rio Preto: a cidade do interior paulista reconhecida pelo calor intenso e o sol escaldante mesmo no inverno.

Mas nada comparado ao que ele vive hoje. Em Dubai, a maior cidade dos Emirados Árabes, o piloto de avião Romano depara com temperatura de 50 graus. Nessa época do ano, ele, a mulher, Nayana, e as duas filhas, Gabriela (5 anos) e Ana Luísa (10), quase não colocam os pés na rua.

“O clima é desértico. Tínhamos informações de que seria assim, mas nunca tinha vivido esse clima”, conta. “Por uns três meses do ano, vivemos praticamente uma vida indoor. É muito quente, mas também uma cidade adaptada para isso.”

Romano não reclama. Sente saudades de Rio Preto, mas não faz planos para voltar. No mês passado, passou duas semanas por aqui, visitando a família. Ele trabalha na mesma empresa há anos e comanda um Boeing 747 em voos internacionais. Já sobrevoou os principais continentes: Ásia, América, África, Europa e Oceania.

Numa dessas empreitadas conheceu Zico. “Nunca passei apuros, como suspeita de terrorismo, mas alguns amigos, sim. A empresa onde trabalho investe muito no sistema de segurança e monitoramento. Se há uma suspeita, o voo é cancelado.”

Ela e a mulher acreditam ter encontrado a cidade ideal para criar e educar as filhas. “Dubai é muito segura, quase não existe criminalidade, roubo. É algo que não tem preço. São muito respeitosos com os estrangeiros, porque dependem dessa mão de obra”, conta o piloto, que foi seduzido por uma boa proposta de trabalho. Além do salário, a empresa oferece moradia e escola para as crianças. Desde cedo, as filhas convivem com a diversidade na sala de aula. “São mais de 120 nacionalidades.”

Romano foi para lá em 2007. Depois de muita luta dos pais em Rio Preto, conseguiu o brevê, licença para pilotar. Para fazer o curso, Romano fazia bicos, como lavar aviões. “Meus pais não tinham muito recursos e, para completar as horas de voos, trabalhei de graça, muitas vezes na oficina do aeroporto.”

Na adolescência, ajudava o pai em uma mercearia, enquanto sonhava em alçar voos. Romano trabalhou em uma empresa brasileira de 1996 até 2003. “Até que fui convidado para trabalhar em Taipé, no Taiwan. Dois anos depois, a empresa fechou. O mercado não estava favorável no Brasil e consegui a oportunidade em Dubai.”

eunomundo05072016 Ednei com o craque Zico em um dos voos internacionais que ele atua como comandante.

Não bastasse o calor, os brasileiros, em Dubai, precisam se adaptar à religião islâmica. Durante o Ramadã, o muçulmano que atingiu a puberdade tem que jejuar por 30 dias. “Não se pode comer ou beber na rua. A princípio soa como algo preocupante. Como vão impedir as pessoas de comer e beber juntas nos meses mais quentes? Mas temos que nos adaptar. Eles deixam bem claro que somos bem-vindos, valorizam a nossa mão de obra, desde que respeitemos a cultura local.”

Dubai está entre as cidades islâmicas mais tolerantes. “Mulher não usa burca. Pode colocar roupa normal, desde que não seja curta. Na Arábia Saudita, as imposições são mais rígidas.”

Em meio a essa brecha, o brasileiro consegue cultivar o hábito da cervejinha. Em outras cidades, por exemplo, o consumo do álcool é proibido.

Para bebericar em Dubai, precisa colocar a mão no bolso. “O governo cobra 20% de impostos na bebida e controla a venda. Cada cidadão precisa de uma carteira, é uma licença, para comprar e ingerir álcool. Toda compra é registrada no chip, é uma forma de o governo monitorar. Se tiver uma briga em um restaurante, mesmo que você não esteja envolvido, vão pedir a licença para saber o quanto consumiu de álcool.”

Dubai, Emirados Árabes Unidos

Continente: Ásia (Oriente Médio)

Habitantes: 2,2 milhões

Brasileiros no país: 9 mil

Distância até Rio Preto: 12,4 mil km

Fuso horário: está 6 horas na frente

Moeda: Dirham

Religião: islamismo

Curiosidades

O país é dividido em sete regiões administrativas (os sete emirados). São eles Abu Dhabi (também capital do país e maior região), Dubai (emirado mais populoso), Ajman, Fujayrah, Sharjah, Ra's al-Khaymah e Umm al-Qaywayn. Cada um é administrado por uma família real. Cerca de 80% da população de Dubai é formada por imigrantes, de mais de 200 nacionalidades.

Não deixe de conhecer:

As grandiosidades da cidade: Dubai Mall, maior shopping center do mundo, e Burj Khalifa, prédio mais alto.

O deserto. É possível fazer um safári.

Não deixe de provar

O ghuzi, prato à base de carne de cordeiro, servido assado sobre arroz e nozes

O eneb wara el, que são folhas de videira recheadas

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso