Diário da Região

30/08/2016 - 00h00min

EU NO MUNDO

Rio-pretense convive há seis anos com as diferenças culturais na Malásia

EU NO MUNDO

Arquivo pessoal Marcio Procópio de Oliveira, com a mãe, Rosangela, durante visita dela à Malásia. Ele não pensa em voltar ao Brasil em menos de cinco anos. “Vivo bem aqui (em Kuala Lumpur)”
Marcio Procópio de Oliveira, com a mãe, Rosangela, durante visita dela à Malásia. Ele não pensa em voltar ao Brasil em menos de cinco anos. “Vivo bem aqui (em Kuala Lumpur)”

Comidas com bastante tempero, muitas vezes apimentadas; população, nem tanto. Se sobram temperos nos pratos da Malásia, falta um pouco para os moradores - bem fechados e reservados -, na opinião do rio-pretense Marcio Procópio de Oliveira, 38 anos. Nada, porém, que o impeça de viver bem por lá. Há seis anos, mora em Kuala Lumpur, capital do país asiático.

“A alimentação é bem forte, com vários temperos, alguns bem apimentados. Já o povo é bem fechado. Eles são criados para ser educados, não comunicativos. Acontece de entrar no elevador com seu vizinho e ele não falar nem um bom dia. Os brasileiros são muito mais animados, mais vivos. Os malaios são meio chochos. O ser humano é complicado, digamos que aqui eles são um pouquinho mais.”

A população na Malásia é formada por três grandes grupos: os locais, os chineses e os indianos. A comunicação, na maior parte do tempo, é em inglês. A não ser que queiram “sacanear”. “Aí falam na língua local ou em dialetos.”

Apesar das críticas, Marcio aprendeu a gostar do país. É personal trainer e professor na rede asiática Celebrity Fitness – que tem unidades em Singapura, Malásia e Indonésia. Também é treinador da Les Mills Asia Pacific. “É uma empresa que treina professores para dar aula de body pump, body combat, RPM, etc. Os asiáticos são fanáticos por aulas da Les Mills.”

Marcio foi para a Ásia por uma proposta de trabalho e também pela oportunidade de viajar e conhecer culturas diferentes. “Vivo bem aqui. Tenho uma vida calma e organizada, vários amigos e até uma afilhada. Consegui criar uma família.”

eunomundo 30082016 Marcio em visita às famosas torres gêmeas Petronas, ponto turístico da capital malaia

A cultura local o surpreende sempre. Como as alunas muçulmanas que fazem aula de ginástica com lenços na cabeça. Ou as chinesas que não gostam de sol e usam uma luva que vai até o ombro. “Mas a Índia, onde morei entre 2009 e 2010, tem coisas mais malucas ainda, como você estar dirigindo e ter que parar o carro até uma vaca sair do meio da rua.”

A culinária na Malásia também é dividida entre malaios, indianos e chineses. E Marcio aprecia um pouco de cada. Apesar da pimenta. “Na cozinha malaia, o que mais gosto é o satay (um molho à base de amendoim). Da comida chinesa, gosto do fried noodles, e da indiana gosto do cheense naan bread, um tipo de pão com queijo que acompanha três molhos.”

A Malásia tem clima tropical, com temperaturas de 27 a 35 graus o ano todo. Parecido com o Brasil, assim como Kuala Lumpur lembra São Paulo. “Só que mais verde e com o céu limpo. A cidade é bem grande. Outra diferença são as ruas, que aqui parecem rodovias. Para você ter uma ideia, para ir de um bairro a outro pagamos pedágio.”

Nem isso, porém, diminui o trânsito, intenso em horários de pico. O nível de violência também é bem diferente. Em Kuala, Marcio ainda não ouviu histórias envolvendo armas de fogo. “É pena de morte aqui. Nunca ouvi nada sobre assaltos a mão armada.”

Não pensa em voltar ao Brasil em menos de 5 anos. Vem à terra natal apenas para visita, uma vez por ano. “Mas falo com amigos e familiares todos os dias.”

Kuala Lumpur, Malásia

Continente: Ásia
Habitantes: 1,6 milhão
Brasileiros no país: 300
Distância até Rio Preto: 16,3 mil km
Fuso horário: está 11h à frente
Moeda: Ringgit malaio

Não deixe de...

… conhecer: a Sipadan, uma ilha de apenas 12 hectares, com abundante vida marinha

… provar: o nasi lemak, feito com arroz e pequenas porções de anchovas e amendoins fritos, rodelas de pepino e ovo (cozido ou frito). Tudo isso com molho sambal, feito com chilis, cebola, gengibre, alho, anchovas e outros condimentos.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.