Diário da Região

15/05/2017 - 08h38min

Preço das bagagens

Saiba quanto cada companhia aérea vai cobrar pela mala despachada

Preço das bagagens

foto: Pixabay NULL
NULL

A companhias aéreas já estão se movimentando para adotar mudanças na cobrança de  bagagens. Na última sexta-feira, 12, a Latam anunciou os novos valores das bagagens despachadas, que começam ser cobrados pela companhia em julho.

Já a Gol e a Azul começarão a cobrança em junho. A Avianca ainda não informou como será a cobrança para seus passageiros.

As definições acontecem após uma batalha de liminares contra a resolução 400 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de 13 de dezembro de 2016, que liberou a cobrança pelas companhias aéreas.

Veja quanto cada companhia aérea vai cobrar:

Latam
Na Latam, a previsão de cobrança de bagagem é a partir de 1º de julho, início da alta temporada. O valor será de R$ 30 para passagens compradas antecipadas, mas a partir de 18 de maio a companhia já fará alterações nas regras relacionadas à franquia permitida por passageiro e ao pagamento pelo excesso.

Ao invés da cobrança ser feita em porcentagem sobre o valor da tarifa-base da passagem do dia, agora tanto rotas nacionais quanto internacionais terão taxas fixas por peça, peso e tamanho excedentes, que começam em R$ 80.

Para voos internacionais  cada passageiro poderá despachar duas malas, sem custo adicional, de até 23kg, ao invés das duas de 32kg. Para destinos na América do Sul, apenas uma mala de 23kg, assim como nos voos domésticos. Depois, cada uma custará R$ 30 (para compra antecipada), mas a companhia não informou quando vai começar a cobrança. 

Ainda nocomunicado oficial, a empresa diz estimar que, com as mudanças, a redução do valor da passagem pode chegar a 20% até 2020.

Avianca

Na última sexta-feira, a Avianca anunciou que, por hora, não planeja cobrar por bagagem despachada. Segundo o presidente da Avianca Brasil, Frederico Pedreira, a ideia da empresa é criar faixas de preços para categorias diferentes de serviço. “Os passageiros sem bagagem (despachada) não têm que pagar pelos que levam. Claramente, teremos uma classe tarifária mais barata para esse cliente”, diz Pedreira.

Quanto à comparação com os atuais preços dos bilhetes aéreos, Pedreira diz que a categoria que não despacha malas terá tarifas mais atrativas. Segundo o executivo, o fato de os passageiros optarem por não despacharem malas implica menos peso nas aeronaves e, consequentemente, custos mais baixos, uma vez que o consumo de combustível será menor.

“Menos custo vai permitir fazer tarifas mais atrativas. Nosso objetivo é fazer com que o setor aéreo retome como um todo”, afirma. Pedreira ainda avalia que os estudos da Avianca Brasil a respeito dos grupos tarifários deverá levar, ao menos, três meses.

 

Azul
A partir de 1º de junho, passagens da Azul para 14 voos que partem de Viracopos, em Campinas, estarão classificadas em duas categorias: a “Azul” e a “MaisAzul”. Quem optar pela “Azul” terá entre 12% e 30% de desconto no preço da passagem e o preço do despacho de uma mala de até 23 kg custará R$ 30. 

Caso o cliente ultrapasse a cota de 23 kg, será mantida a atual cobrança por quilo excedente. Já a opção “MaisAzul” mantém a prática tarifária atual e inclui franquia de 23 kg de bagagem.

Estes voos têm como destino Curitiba, Jaguaruna, Ponta Grossa, Divinópolis, Rio de Janeiro (Santos Dumont), Belo Horizonte (Confins), Navegantes, Lages, Florianópolis, Londrina, Passo Fundo, Porto Alegre, Cascavel e um voo de Vitória para Viracopos. Nos demais voos e destinos, a cobrança de bagagem permanece a mesma.

Gol
Em voos nacionais, o despacho de uma mala de até 23 kg custará R$ 30 para clientes que comprarem o serviço pela internet ou R$ 60 para quem fizer a opção no balcão do check in da Gol. Já nos voos internacionais, o valor será de US$ 10 no autoatendimento e agências de viagens e US$ 20 no balcão. As cobranças começam no dia 20 de junho.

O excesso de peso também terá seus valores alterados. Hoje é calculado de acordo com a tarifa cheia do voo. Os novos valores serão de R$ 12 para cada quilo adicional nos voos domésticos e US$4 nos internacionais.

Junto às mudanças, a Gol lançará também uma nova tarifa mais econômica, chamada Light, para quem não precisar despachar bagagens.

Novas regras
As novas regras da Anac, que entraram em vigor no dia 14 de março acabam com o transporte gratuito de malas com até 23 quilos em voos domésticos ou de duas malas com até 32 quilos em voos internacionais. A tarifa do serviço agora será estabelecida pelas empresas.

Sobre a bagagem de mão, que tinha limitação de gratuidade em malas com até cinco quilos, o limite do transporte gratuito foi aumentado para malas com pelo menos 10 quilos. O tíquete das aéreas terá de especificar claramente quais os valores que serão cobrados dos usuários.

Na última semana, o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, disse que o fim da franquia de bagagens poderá ser revisto se não resultar em redução dos preços das passagens. Segundo Quintella, o objetivo do governo, ao adotar a medida, foi criar um mercado de serviço aéreo de baixo custo, o chamado “low cost”, no Brasil.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.