Diário da Região

04/03/2017 - 00h00min

GUERRA

Nova batalha entre Uber e taxistas

GUERRA

Reprodução Disputa entre motoristas dos dois serviços teve como palco o Aeroporto de Rio Preto, ponto mais cobiçado pelos profissionais
Disputa entre motoristas dos dois serviços teve como palco o Aeroporto de Rio Preto, ponto mais cobiçado pelos profissionais

A disputa entre motoristas do Uber e taxistas por passageiros provocou confusão na noite de quinta-feira, dia 2, na entrada do Aeroporto de Rio Preto, um dos pontos mais cobiçados pelas duas categorias. Representantes dos dois lados já protagonizaram pelo menos três bate-bocas e acusações de agressões mais graves desde que o serviço foi implantado na cidade, no dia 1º de fevereiro, apesar de uma lei municipal proibindo a atividade em Rio Preto.

Pressionada pelos taxistas, a Prefeitura diz que volta às ruas neste sábado e domingo para ações de fiscalização. Um motorista conseguiu liminar na Justiça para protegê-lo de multas. A confusão de quinta-feira ocorreu quando uma carreata de motoristas do Uber, com 30 veículos fazendo buzinaço, passou na entrada do Aeroporto. Segundo um dos líderes dos profissionais do Uber, Wilson Rodrigues, de 57 anos, a manifestação foi em solidariedade a um membro da categoria que, segundo ele, teria sido agredido por um taxista quando foi pegar um passageiro no local.

"Quando ficamos sabendo o que aconteceu com o companheiro, resolvemos ir até o Aeroporto para pedir respeito e reivindicar o direito de poder trabalhar em paz, porque só estamos querendo sustentar nossas famílias", diz Rodrigues. Mas, segundo o presidente do Sindicato dos Taxistas de Rio Preto, André Luis Cabelo, durante passagem pelo Aeroporto os motoristas do Uber agrediram verbalmente os taxistas que fazem ponto no local, o que teria provocado briga entre alguns membros das duas categorias.

"O clima já estava muito pesado. O pessoal passa lá gritando palavra de ordem e provocando os taxistas que trabalham regularmente. Acabou virando uma confusão", diz o presidente. Um taxista de 31 anos registrou um boletim de ocorrência na Central de Flagrante dizendo que foi agredido pelos motoristas do Uber, que ficaram incomodados quando ele passou a filmar com o celular a carreata.

 

Arte - Uber - 04032017 Clique na imagem para ampliar

"Desceu um dos caras e passou a me dar socos, chutes. No meio da confusão, vi mais uns quatro caras vindo para cima de mim. Só escapei porque meus companheiros vieram me socorrer e ligaram para a Polícia Militar", diz o taxista, que não quer se identificar. Na manhã de sexta-feira, dia 3, o taxista passou por exame de corpo delito no Instituto Médico Legal de Rio Preto, para registrar as marcas da briga. No mesmo dia, outros três boletins de ocorrência de agressão durante a confusão do aeroporto foram registrado, desta vez de motoristas do Uber.

Ainda nesta sexta, um grupo de dez motoristas do Uber foi até a Câmara de Vereadores entregar oficio ao presidente da instituição, Jean Charles, em que solicita a revogação da lei municipal que proíbe o serviço em Rio Preto. O Uber diz que a legislação municipal é inconstitucional e que está amparado em uma lei nacional de mobilidade urbana. O secretario Municipal de Trânsito, Transportes e Segurança de Rio Preto, Marcos Augusto Apóstolo, afirma que neste sábado, dia 4, e domingo, dia 5, fiscais farão blitz para flagrar motoristas que estejam trabalhando irregularmente como Uber.

Com apoio da Guarda Municipal, serão feitas barreiras nas avenidas e ruas mais movimentadas para fiscalizar os veículos que estiverem fazendo o transporte irregular de passageiros. "Infelizmente, não temos equipe para fazer fiscalização 24 horas, todos os dias da semana. Estamos fazendo o que é possível para que a lei seja cumprida.

Pressão

Motorista do Uber, Wilson Rodrigues diz que a categoria aguarda o pedido de audiência com o prefeito Edinho Araújo (PMDB) para apresentar a ele também o pedido de revogação da lei que proíbe o Uber. "A única coisa é dar à população o direito de escolher o meio de transporte que ela quer usar, táxi ou Uber. Há decisões judiciais que nos permitem trabalhar", argumenta.

Já o presidente do Sindicato dos Taxistas de Rio Preto cobra da Secretaria Municipal de Transporte o cumprimento da lei de proibição do Uber. "Se a Prefeitura não tomar uma atitude, daqui a pouco vai acontecer coisa pior do que foi no Aeroporto. Os ânimos estão acirrados. Enquanto não houver regulamentação, eles não podem trabalhar", diz o presidente. Não há previsão de quando o prefeito Edinho Araújo vai receber uma comissão do Uber.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso