Diário da Região

23/03/2017 - 00h00min

ESTELIONATO

Polícia investiga golpe em campanha para menino

ESTELIONATO

Divulgação/Betto Mariano/A Voz das Cidades Garoto havia perdido 100% da visão de um olho e 30% do outro
Garoto havia perdido 100% da visão de um olho e 30% do outro

A Polícia Civil de Urânia investiga um golpe que teria sido aplicado na família de um garoto de 12 anos, que precisava comprar uma lente para não ficar cego. Segundo o delegado responsável pelo caso, Nilton Cangussu, a família foi vítima de estelionato e perdeu R$ 8 mil, que haviam sido arrecadados para a compra da lente. O acusado do golpe é um homem que teria se passado por advogado e ajudado na campanha.

O garoto foi diagnosticado com ceratocone e, devido à doença, perdeu 100% da visão de um olho e 30% da visão de outro. A mãe, uma servidora pública de 40 anos, registrou boletim de ocorrência contra o suspeito, que é morador de Jales. Desde o começo do ano, a mulher e a família iniciaram uma campanha para arrecadar dinheiro. Eles pediam R$ 5 mil para a compra de uma lente. 

Além disso, ele teria que passar por consultas no Hospital Instituto de Moléstias Oculares (HIMO), em Rio Preto, que custariam em torno de R$ 800, fora os gastos com os exames. Mãe e pai têm problemas de saúde e apenas ela é aposentada por invalidez. Durante os pedidos de arrecadação, ela conheceu o suspeito, que se apresentou como advogado do Sindicato dos Servidores. Ele teria conseguido alimentos junto à instituição e se tornou parceiro da mulher, acompanhando a aposentada e o filho nas consultas em Rio Preto, além de promover rifas e pedir doações pela região.

No último dia 11 de março, a dupla conseguiu a realização de uma quermesse em Santa Salete e arrecadou cerca de R$ 16 mil. Segundo a mãe, o suposto advogado teria desaparecido com aproximadamente R$ 8 mil arrecadados antes da quermesse. A comissão “Amigos de Santa Salete, responsável pela quermesse, desconfia que a mulher possa estar envolvida no desvio do dinheiro. Eles acusam a mulher de ter comprado um celular e uma moto com o valor. A mulher nega.

A reportagem tentou falar com o suposto advogado, que disse ser inocente e que só falaria sobre o caso após conversar com o seu advogado. “Vamos investigar a fundo o caso. Por enquanto ouvi Márcia e a família e estou coletando provas e vou ouvir o suspeito. Ainda não há provas contra ela, portanto estamos tratando-a como vítima de estelionato”, explicou o delegado.

A diretoria do HIMO informou que a família esteve várias vezes na clínica e o menino realmente foi diagnosticado com a doença. A primeira consulta custou R$ 300. “Optamos por não cobrar as seguintes consultas e exames. Além da primeira consulta, o Hospital cobrou a lente por um valor de R$ 2,2 mil. Após estes procedimentos, o paciente já enxerga normalmente e não precisa de mais nada”, informou a direção da clínica.

 

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.