Esportes

  • Terça-feira, 22 de Agosto
  • Se não existe esforço, não tem progresso!
Esportes

Matéria

Domingo, 13.08.17 às 00:00

TJD julga pedido do Rio Preto nesta segunda

Ozair Júnior

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paulista de Futebol julga na noite desta segunda-feira, 14, o recurso interposto pelo Rio Preto para garantir sua permanência na Série A-2 do Campeonato Paulista de 2018, mesmo com o rebaixamento em campo neste ano. A tentativa de “virada de mesa” do Jacaré, protocolada no fim do mês de maio no TJD, está na pauta do Tribunal Pleno desta semana, depois de passar pela procuradoria. “A ação não prima pelo tapetão. O tapetão ocorreu conosco, o Rio Preto foi vítima. Existia um regulamento distribuído no dia do conselho técnico. Passado um mês, a Federação publicou outro”, disse o presidente do Rio Preto, José Eduardo Rodrigues.

A grande briga do clube esmeraldino é por conta do adiamento para 2018 da necessidade de os clubes apresentarem as Certidões Negativas de Débitos (CND), conforme exige a Lei do Profut promulgada pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2015, devido a um abaixo-assinado do Conselho Nacional do Esporte (CNE) no fim do ano passado.

“Uma lei federal só pode ser revogada por outra”, ressaltou o cartola. “Dos seis clubes que caíram do A-2 para o A-3, Capivariano, Velo Clube, Mogi Mirim e Rio Preto pagaram seus impostos corretamente. Nós recolhemos 558 mil. Quem não pagou turbinou seus orçamentos, nós não.”

O Jacaré terminou a Série A-2 na 18ª colocação, com 19 pontos e 33,33% de aproveitamento. Em 19 jogos, venceu apenas quatro, empatou sete e perdeu oito vezes.

Do lado da Justiça

As manobras contra as obrigações do Profut começaram ano passado e, em março deste ano, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade tramita no Superior Tribunal Federal (STF). O ministro Alexandre de Moraes é o relator do processo, que tem como autores o Partido Humanista da Solidariedade (PHS), do deputado federal Marcelo Aro, que também é diretor de ética e transparência da CBF, e o Sindicato Nacional das Associações de Futebol Profissional (Sindafebol), presidido por Mustafá Contursi, ex-Palmeiras e próximo de Marco Polo Del Nero. Na semana passada, o Rio Preto ingressou no STF para fazer parte do processo como Amicus Curiae (amigo da justiça), em favor do cumprimento da lei.

Comentários

Recomendadas

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 15,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Facilite seu acesso agregando uma
conta de rede social ao seu perfil
Sexo
Confirme seu cadastro

Para acessar nossos conteúdos especiais é necessario que você ative seu cadastro.

Acesse seu e-mail e clique no link que lhe enviamos. Caso não tenha recebebido, digite abaixo seu e-mail.