Cidades

X
  • Sábado, 23 de Setembro
  • Onde quer que vá, vá com o coração!
Cidades

Matéria

Domingo, 16.07.17 às 00:00 / Atualizado em 15.07.17 às 20:46

Terror e morte no Calçadão de Rio Preto

Nany Fadil e Tatiana Pires
Cleber Fontoura Guardas civis municipais - 16072017
Guardas civis municipais feridos na calçada após serem atingido por disparos de arma de fogo

O assalto a uma joalheria no Centro de Rio Preto acabou com a morte de um jovem de 17 anos. O crime ocorreu logo no início da manhã deste sábado, dia 15. Além do estudante Pedro Henrique Bueno de Oliveira, que morreu no local, dois guardas municipais foram atingidos pelos tiros dados pelos ladrões.

Imagens de câmeras de videomonitoramento mostram que, por volta das 9h30, assaltantes chegaram na joalheria Costantini em um carro Hyundai HB20, com placas de São Paulo, da cor preta. Três homens desceram do veículo e entraram na loja, outros dois aguardaram dentro do carro, que foi manobrado e ficou do outro lado da rua.

O primeiro bandido que entrou na loja apontou uma arma para a cabeça de uma das funcionárias e mandou que o levasse até o cofre, que fica em uma salinha nos fundos do estabelecimento. Outro ladrão rendeu a segunda funcionária e exigiu que ela entregasse as chaves da prateleira onde estavam os relógios. O terceiro mandou que a funcionária enchesse sacolas de plástico da própria loja com as joias que estavam expostas nas prateleiras do estabelecimento.

 

Delegado Alceu Lima - 16072017 Delegado Alceu Lima recolhe projéteis espalhados pela rua

“Um homem que passava colocou a cabeça para dentro da loja e viu o que estava acontecendo e gritou”, conta uma funcionária, que pediu para não ser identificada. Guardas municipais que passavam pelo local em patrulhamento, de bicicleta, foram no sentido da loja. Nesse momento, um quarto ladrão desceu do carro com uma metralhadora, atravessou a rua e passou a atirar contra os guardas Cleiton José da Silva Gomes e Tássia Tomoda Dourado.

O guarda Cleiton, que estava armado, chegou a apontar a arma para um dos assaltantes, mas a Polícia Civil não confirmou se o agente atirou em direção ao criminoso. Duas balas perfuraram o braço e a perna esquerda dele. Tássia foi atingida no abdome. Além disso, os dois guardas foram atingidos no colete à prova de balas. Segundo a funcionária da Costantini, ao ouvir o barulho das balas, os ladrões que estavam dentro da joalheria começaram a gritar: 

 

Bandidos - 16072017 Bandidos agiram de cara limpa e polícia vai usar imagens de câmeras de segurança do Centro para identificá-los

“Sujou! Sujou!” Eles saíram correndo e atirando em direção ao Calçadão. A tentativa dos assaltantes era de acertar novamente o guarda municipal, mas um dos tiros atingiu e matou Pedro Henrique, que estava com o tio em uma loja a cerca de cem metros da joalheria. Muito abalada, a mãe do jovem, Rita, acompanhou a retirada do corpo do filho de dentro da loja. Os bandidos fugiram no HB20, que depois foi abandonado. Segundo a polícia, o veículo era roubado. Dentro do carro foram apreendidas munições calibre 9 milímetros. Eles teriam continuado a fuga em um Fox branco.

A caça aos bandidos continuou durante a tarde de sábado, com apoio do helicóptero Águia, mas até o fechamento desta edição, às 20h, nenhum dos bandidos foi preso. Dois suspeitos chegaram a ser levados ao Plantão Policial. Eles foram ouvidos e liberados, porque não foram reconhecidos pelas testemunhas. Segundo o delegado Marcelo Parra, a quadrilha pode não ser de Rio Preto. Os responsáveis da relojoaria disseram que não iriam se manifestar, por enquanto. Os objetos levados pela quadrilha não foram divulgados.

 

Tássia Tomoda Dourado - 16072017 Tássia Tomoda Dourado, guarda municipal, está internada no HB

Estado de saúde

Logo após a fuga dos bandidos, populares tentaram socorrer os agentes. Uma mulher amarrou uma blusa na perna da vítima para tentar estancar o sangue. Outras pessoas tentavam socorrer a agente. A Polícia Civil resgatou cartuchos de munição 9 milímetros e .40 que estavam na rua Siqueira Campos. 

“Os coletes de proteção dos guardas municipais evitaram que os tiros atingissem, mas há marcas nos coletes que mostram que atiraram para matar”, disse o diretor da corporação, Sílvio Pedro da Silva. Cleiton passou por cirurgia na Santa Casa de Rio Preto e ficou internado na unidade. Tássia está no HB e também passou por procedimento cirúrgico.

 

Cleiton José da Silva Gomes - 16072017 Guarda Cleiton José da Silva Gomes está na Santa Casa

Doação de sangue

Em nota a GCM informou que “os guardas passaram por cirurgia e no momento se encontram na UTI em recuperação. O quadro de saúde de ambos é estável. Pedimos à população que realizem doações de sangue para suprir a necessidade dos hospitais”. O tipo sanguíneo de Cleiton é A positivo e o de Tassia, B positivo. As doações podem ser feitas no Hemocentro, das 7h às 13h.

(Colaboraram Gabriel Vital e Jéssica Reis)

 

 

 

 

Comentários

Recomendadas

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 15,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Facilite seu acesso agregando uma
conta de rede social ao seu perfil
Sexo
Confirme seu cadastro

Para acessar nossos conteúdos especiais é necessario que você ative seu cadastro.

Acesse seu e-mail e clique no link que lhe enviamos. Caso não tenha recebebido, digite abaixo seu e-mail.