IMG-LOGO
Home Lifestyle
SUSTENTABILIDADE

10 itens para não levar para casa nunca mais

Hábitos e atitudes deixam no planeta uma marca, chamada de "pegada ecológica"

Consumir produtos que utilizaram em sua fabricação menos recursos naturais, feitos por trabalhadores respeitados em suas funções e que podem ser reaproveitados ou reciclados com facilidade. Essa é a definição de "consumo sustentável", de acordo com o Ministério do Meio Ambiente. Mas consumir de forma sustentável não é só isso. Tem a ver com hábitos e atitudes que deixam no planeta uma marca, chamada de "pegada ecológica".

Quanto mais sustentável for o estilo de vida, menor será a pegada e, portanto, menores os danos à Terra. "À medida que consumimos demais e extrapolamos a capacidade de regeneração do planeta, entramos como que em um cheque especial. Os juros nós já estamos pagando, com a diminuição da oferta de água em várias regiões, alteração no regime das chuvas, empobrecimento do solo, má qualidade do ar", informou a organização não-governamental (ONG) WWF Brasil à Vida&Arte.

O resultado disso é a diminuição na produção agrícola, ou seja, menor oferta de alimentos, além de problemas de saúde e menor qualidade de vida para as pessoas, sem contar as inúmeras ameaças ao meio ambiente.

Basicamente, a palavra de ordem é comprar menos e melhor. A biomédica Gabrielle Tosqui Benatti, 25 anos, mudou radicalmente seus hábitos de consumo depois que assistiu a um documentário sobre o "overshoot day" - o dia de sobrecarga da Terra. "Vi que os seres humanos usam mais que o dobro da capacidade do planeta em questão de recursos naturais", disse.

Hoje ela consome menos carne e produtos animais, opta por roupas de marcas sustentáveis (feitas em algodão e outras fibras naturais, em tecidos orgânicos, com reutilização de sobras, tags e etiquetas ecossustentáveis), usa cosméticos não testados em animais, evita consumo exagerado de papéis ao optar por boletos digitalizados, aderiu ao coletor menstrual para abandonar os absorventes descartáveis e aderiu aos copos de silicone, talheres e canudos de metal, entre outras atitudes para diminuir a produção de lixo.

Ela diz que as mudanças foram muitas, e positivas: "Acumulo menos coisas em casa - antes eu tinha uma gaveta só pra guardar sacolas plásticas. Tenho roupas que duram mais e têm mais qualidade. O coletor [menstrual] evitou problemas como alergias e infecções, como candidíase. Sinto-me bem sabendo que estou fazendo a minha parte ao consumir menos sem perder qualidade de vida", disse Gabrielle.

A WWF Brasila acrescenta que é preciso mudar, porque, caso as pessoas continuem consumindo mais do que a Terra permite, a expectativa é de que o mundo entre em colapso, como qualquer sistema sobrecarregado. "E o esgotamento dos recursos naturais inevitavelmente terá um grande impacto na vida das pessoas", informou a ONG.

Nas refeições

Copos, talheres e canudos de plástico, além de guardanapos de papel podem ser trocados por copos de silicone ou vidro, talheres de metal ou plástico retornáveis e guardanapos de pano. Os canudos podem ser de bambu, vidro, metal e outros materiais reutilizáveis. Já existem no mercado kits que incluem todos esses itens em charmosos estojos para levar na bolsa.

Nas compras

As sacolas podem ser substituídas por ecobags (tecido, lona e outros materiais retornáveis). O carrinho de feira também é uma boa alternativa para ir às compras ao mercado ou às feiras livres. Prefira frutas e legumes a granel em vez dos embalados em isopor plástico. Pode-se também aderir aos sacos feitos em tecido transparente, tule ou filó, evitando assim os saquinhos plásticos.

Na moda

Optar por marcas de roupas sustentáveis pode representar benefícios ao meio ambiente e também economia de dinheiro, já que são roupas de boa qualidade, que duram mais. Opte por lojas que utilizem embalagens de papel. Os brechós e sites de desapego também são boas opções para vender, trocar ou comprar roupas. Existe também a customização, em que é possível transformar em nova uma roupa velha.

Na maquiagem

É mais sustentável utilizar marcas de maquiagens que não fazem testes em animais e utilizam em sua fabricação produtos naturais. No caso dos cosméticos veganos, não são utilizados sequer produtos animais - cera de abelhas, por exemplo. Optar também por pincéis de cerdas naturais e, na hora de remover a maquiagem, ao invés dos discos descartáveis de algodão, pode-se usar os ecopads, que são discos reutilizáveis. Os mais comuns são feitos em crochê, com linha de algodão.

Limpeza da casa

Podem ser substituídos por produtos biodegradáveis, em embalagens recicladas e recicláveis. Outra opção são os naturais, feitos artesanalmente com ingredientes como folhas de eucalipto, glicerina, sabão de coco, bicarbonato. Existem muitas receitas disponibilizadas na internet. Outra opção sustentável são os produtos concentrados e aqueles com refis, que demandam menos do planeta na produção das embalagens.

Decoração

Ao escolher os móveis de casa, prefira os de madeira certificada ou madeira de demolição. São mais caros, porém mais duráveis, o que compensa o investimento. Sua produção agride menos o meio ambiente que os aglomerados, que utilizam resinas e aditivos químicos na composição.

Na iluminação

As comprar lâmpadas para iluminação da casa ou empresa opte por alternativas como LED e as fluorescentes compactas. Lâmpadas de LED apresentam mais economia, mas são as mais caras do mercado. As fluorescentes custam menos e consomem até 75% menos energia que as incandescentes, o que as torna a opção mais sustentável de todas.

No carro

Quanto maior a octanagem, maior a resistência, mas, em carros convencionais, o ganho de potência não é significativo porque estes não possuem taxa de compressão elevada. Portanto, não faz sentido utilizar esse produto. Prefira abastecer com etanol, combustível produzido a partir da cana-de-açúcar. Sua queima emite menos gases poluentes que o combustível derivado do petróleo.

Na higiene pessoal

Elimine os lencinhos umedecidos e utilize, sempre que possível, toalhas e lenços de pano, que podem se reutilizados após a lavagem. Na hora de escovar os dentes, pode-se optar por escovas de cerdas naturais ou compostáveis, com cabos que podem ser reaproveitados. Até o creme dental pode ser caseiro - com aloe vera, cúrcuma, óleo de coco, ou de marcas que oferecem pasta de dente vegana.

Na hora do cafezinho

Uma boa alternativa são os filtros de pano, artesanais ou mesmo industrializados. Nesse caso, a borra do café pode ser utilizada em composteiras ou direto nas plantas onde atuam como um ótimo fertilizante. Pense também no descarte das embalagens. Prefira, sempre que possível, os cafés em grãos, comprados a granel. Se não for possível, escolha embalagens de café moído que são recicláveis. No caso das cápsulas, prefira as de alumínio, que podem ser reutilizadas, mas devem ser entregues em um ponto de coleta do fabricante.

Editorias:
Lifestyle
Compartilhe: